Simno reelege diretoria e traça planos

A chapa do presidente Roberto Rios Lima foi reeleita para mais um mandato à frente do sindicato mato-grossense

Publicado em 19 de novembro de 2014 | 9:13 |Por: Marina Werneck de Capistrano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Divulgação Simno

Roberto Rios é reeleito para presidência do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste do Mato Grosso (Simno)

Roberto Rios é reeleito para presidência do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste do Mato Grosso (Simno)

Empossada neste mês de novembro, para o triênio 2014-2017, a nova diretoria do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste do Mato Grosso (Simno) conta com Roberto Rios à frente do cargo de presidente da entidade. Reeleito, ele comenta que o projeto continua sendo o fortalecimento do setor, por meio de ações capazes de aumentar o número de associados.”Uma base forte torna possível alavancar recursos com os objetivos já discutidos pela diretoria”, complementa.

Sema

Plano de Manejo Florestal Sustentável

Plano de Manejo Florestal Sustentável

Outras prioridades do sindicato são apontadas por Rios. “Entendemos ser necessária uma articulação que torne nossas ações mais abrangentes, com a criação de uma cooperativa para os empresários das indústrias de base florestal, com significativa redução dos custos, para aquisição de equipamentos e insumos”, diz e complementa: “É, também, nossa meta, a construção da nossa sede social, com os conhecidos benefícios que empreendimentos como estes oferecem para integração dos grupos, inserção dos novos associados, estreitamento das relações interpessoais, com a melhoria da qualidade de vida que essas ações sempre asseguram. Pretendemos no futuro construir o polo moveleiro em Juína (MT)”, afirma.

Leia mais:
Análise do Ciclo de Vida é fundamental para indústria
Dia do Consumo Consciente: E a indústria moveleira?
Setor moveleiro precisa repensar a utilização de materiais

Produção florestal no Mato Grosso:
–  Área aproximadamente de 3,2 milhões de ha averbadas para manejo florestal;
–  Área média anual de colheita: 135.000,00 ha;
–  Consumo médio de toras: 3,4 milhões de m³/ano;
–  Indústria:  1.600 empresas;
–  Emprego: 100 mil diretos e indiretos;
–  O setor arrecada em média  20 milhões de Fethab por ano;
–  O setor arrecada em média 42 milhões de ICMS por ano.

Rios diz que o sindicato tem desenvolvido trabalhos de conscientização para a necessidade de preservação das florestas, com palestras em escolas de todos os municípios de nossa base. “É importante e necessária uma mudança da errônea visão que o setor carrega, como se fosse responsável pelas ações que degradam a natureza, quando, de fato, trabalhamos com afinco para manter a floresta em pé, pois dela retiramos, por meio de manejo sustentável, a matéria prima para nossas indústrias, bem como, o sustento de milhares de famílias gerando emprego e renda, além de significativa contribuição ao Estado, por meio do pagamento dos impostos”, aponta, com a convicção de mais um triênio com muito trabalho de promissores resultados.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile