Entidades iniciam reuniões para solucionar problemas do setor moveleiro gaúcho

Movergs inicia encontros mensais com entidades representativas de polos moveleiros gaúchos

Publicado em 20 de abril de 2018 | 16:08 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Entidades do setor moveleiro do Rio Grande do Sul iniciaram nesta quinta-feira (19) uma série de encontros para debater e alinhar objetivos de mercado para 2018 e também para os próximos anos. As reuniões, capitaneadas inicialmente pela Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), visam integrar todos os polos moveleiros e pensar diretrizes estratégias para as mais de 2,6 mil indústrias que compõem o cenário gaúcho.

O primeiro encontro, realizado na sede da Movergs, contou com a participação de sindicatos representantes de polos moveleiros de Garibaldi, Flores da Cunha, Lagoa Vermelha, Cachoeira do Sul, Caxias do Sul, Porto Alegre, Gramado, São Leopoldo, Lajeado, Tenente Portela, Erechim, Passo Fundo, Novo Hamburgo, Pelotas e Santa Rosa, além do de Bento Gonçalves. Alguns participaram presencialmente, outros por e-mail.

– Sindicatos enumeram ações no setor moveleiro do Rio Grande do Sul

A porposta com estas reuniões, de acordo com a Movergs, é compilar e compreender todas as necessidades do setor moveleiro do Rio Grande do Sul e desenvolver um planejamento estratégico para resolução de entraves e gargalos na produção. O próximo encontro está agendado para o dia 25 de maio e a previsão é que se repita todos os meses.

“Estamos iniciando as conversas, as primeiras sementes foram plantadas. As entidades apresentaram ideias, sugestões, críticas e queixas. Há bastante preocupação quanto ao governo (federal e estadual), quanto a precariedade da infraestrutura do RS em termos de estrada, energia elétrica e tributos como ICMS, que prejudicam o setor. A prioridade é pensarmos soluções para o que pode ser resolvido imediatamente, tendo em vista a franqueza e a transparência da comunicação que a Movergs mantém com o governo do estado”, explicou o presidente da Movergs, Volnei Benini.

Setor moveleiro do Rio Grande do Sul busca união

A ideia de realizar reuniões periódicas surgiu durante as reuniões da diretoria da Movergs a partir da própria demanda do setor moveleiro do Rio Grande do Sul em se unir para fazer frente aos obstáculos infraestruturais da região. No entanto, Volnei salienta que não se trata de um protagonismo da entidade de Bento Gonçalves, uma vez que tais questões afetam todos os polos do estado. Inclusive ele aventa a possibilidade que os próximos encontros sejam realizados nas sedes das outras entidades.

A nossa intenção foi de fazer uma primeira reunião para avaliar as necessidades particulares de cada entidade, que são diferentes

Como ainda este processo de comunicação formal entre os polos moveleiros gaúchos está em estágio inicial, não foi definida nenhuma agenda ou programa de ações. Contudo, as primeiras impressões foram coletadas e serão amadurecidas nos próximos meses:

“A nossa intenção foi de fazer uma primeira reunião para avaliar as necessidades particulares de cada entidade, que são diferentes. Surgiram vários tópicos, como por exemplo a questão das chapas, na qual precisamos nos unir para buscar parcerias maiores neste sentido. Vamos definir tudo por setores da cadeia produtiva, aos poucos. Cada polo, cada sindicato tem necessidades características, que serão discutidas em conjunto. A gente não vai abranger tudo, e depois estabeleceremos uma estratégia de ações”, diz Benini.


Os comentários estão desativados.

eMobile