Produção do setor moveleiro registra queda em setembro, segundo Iemi

Apesar do bom crescimento do faturamento do setor no ano como um todo, mês de setembro apresentou regressão

Publicado em 17 de novembro de 2017 | 16:58 |Por: Thiago das Mercês

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

De acordo com relatório mensal elaborado pelo Iemi – Inteligência de Mercado, com o apoio da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), a produção de móveis em volume apresentou queda de 5,9% no mês de setembro. No ano, o setor moveleiro teve alta de 1,8%. Em valores nominais a receita da indústria recuou 5,3% no mês, mas avançou 7,6% no ano.

Já as vendas no comércio varejista de móveis recuaram 5,8% em volume de peças em setembro de 2017. No que diz respeito às receitas, o recuo foi de 5,6% no mesmo mês. No ano, o setor teve um recuo de 5,9% em volume. Em valores, o recuo foi de 0,2%.

Divulgação Movergs/Termômetro Iemi

setor moveleiro

Volume (em milhões de peças) do varejo e produção de móveis nos anos de 2015, 2016 e 2017

Emprego do setor moveleiro

Sobre os postos de trabalho e a produtividade do setor moveleiro, houve uma alta de 0,9% no número de empregos na indústria de móveis no mês de setembro. Já na comparação anual, a alta foi de 3,1%. A produtividade média do setor se manteve estável no mês e apresentou alta de 3,3% na base anual.

– Setor de móveis teve baixa de 4,6% na produção em junho de 2017

Comércio externo

Em relação à balança comercial da indústria de móveis, as exportações brasileiras foram de US$ 469,7 milhões entre janeiro e setembro, alta de 6,8% em relação ao mesmo período de 2016. Já as importações somaram US$ 445 milhões no ano, uma queda de 5,1% sobre mesmo período de do ano anterior.

Shutter

setor moveleiro

Nota: (1) inclui assentos para veículos, móveis, colchões e partes para assentos e móveis

Este relatório, elaborado pelo Iemi com o apoio da Movergs, é produzido com base no relatório conjuntural mensal Termômetro Iemi, complementado por consultas a fontes secundárias (IBGE, CNI, Secex e outros).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook