Reúso da água ajuda a aumentar a competitividade

Evento discutiu maneiras de melhor utilizar a água no setor industrial

Publicado em 18 de agosto de 2014 | 9:46 |Por: Jorge Mariano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Pere Navarro

agua cni

Problemas de escassez de água são resultado da falta de planejamento nos grandes centros urbanos

Além de conservar o meio ambiente, a racionalização e o reúso da água trazem vantagens econômicas e aumentam a competitividade das empresas. A economia de água também é importante para a redução do consumo de outros insumos, como a energia, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A importância do reúso da água para a indústria foi tema de um encontro que reuniu, no dia 14 de agosto, acadêmicos, representantes do governo e o setor produtivo.

Leia mais:
– Acompanhe o blog sobre Gerenciamento Estratégico
– Saiba mais sobre a economia do setor moveleiro
– Brasil e Europa podem fechar no acordo comercial

Com o apoio da CNI, a Oficina de Trabalho Racionalização e Reúso de Água no Setor Industrial foi realizada pela Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia (CTCT) do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), na sede do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), em Brasília. No evento, o coordenador da Rede de Recursos Hídricos da CNI, Percy Soares, destacou que as indústrias que investiram em reaproveitamento da água estão sofrendo menos reflexo do que as demais nos locais onde há problemas de abastecimento. “Quem está acompanhando a crise da água nota que as indústrias que fizeram planejamento e investiram em reúso estão sendo menos impactadas com a crise”, disse Soares.

A CNI defende políticas e incentiva iniciativas de reúso da água, e mantém uma rede de recursos hídricos que integra representantes do setor. O objetivo é qualificar os empresários a usarem menos água na produção e a reaproveitarem o insumo, reduzindo custos e incrementando a competitividade.

Falta planejamento

O professor e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) José Carlos Mierzwa observou que os problemas de escassez de água são resultado da falta de planejamento nos grandes centros urbanos. Por isso, ele defendeu a elaboração de planos como solução para evitar as crescentes crises hídricas no país. “Fazer uma ação ambiental adequada é bom, mas ganhar dinheiro junto é melhor ainda. Nada mais justo do que a indústria ganhar dinheiro com o crédito de ser protetor do meio ambiente”, disse.

O assessor da Agência Nacional de Águas (ANA), Marco Neves, defendeu a parceria entre diferentes segmentos. Segundo ele, somente a atuação conjunta permitirá que o reúso da água se torne uma realidade no Brasil. “Não tenho dúvida de que o uso racional passa pela construção de parcerias”, afirmou Neves.

Para o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Ney Maranhão, o país precisa passar por uma transformação em relação ao uso da água. “Todos temos lido nos jornais sobre a situação de São Paulo. Esse não deve ser o único problema que temos e, lamentavelmente, os problemas vão se multiplicando à medida que o país cresce. O que antes era uma situação de conforto começa a se desenhar como um quadro de preocupação a médio prazo”, admitiu.

(com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile