Reportagem traz orientações sobre escolha da seccionadora

Reportagem na seção “Chão de Fábrica” sobre a escolha do modelo de seccionadora traz observações do especialista Renato Bernardi, do Senai-Cetemo e dicas de representantes da B. Krick (HolzHer), Dancamac (Biesse), Homag, Marjos e Usikraft.

Publicado em 21 de março de 2014 | 9:07 |Por: Portal eMobile

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Renovada, a seção “Chão de Fábrica” da Móbile Fornecedores traz, na mais recente edição da revista (número 259, de fevereiro/março), uma reportagem com orientações ao industrial moveleiro para a escolha do modelo de seccionadora ideal.

Além de apresentar considerações de fabricantes, o texto traz observações do especialista Renato Bernardi, do Senai-Cetemo. “A decisão de comprar este ou aquele depende da capacidade de investimento industrial e da real necessidade de possuir um modelo mais ou menos complexo”, adianta Bernardi.

Divulgação Senai-Cetemo

Renato Bernardi, do Senai-Cetamo

Renato Bernardi, do Senai-Cetamo, dá dicas aos industriais

O material a ser cortado, o volume que se deseja atingir, a variedade e a qualidade do corte são alguns fatores a serem cogitados na escolha de uma seccionadora para linhas seriadas, de acordo com o especialista.

Um planejamento e controle da produção (PCP) ajustado é citado pelo consultor como um fator de dimensionamento dentro do chão de fábrica. A reportagem traz ainda informações obtidas com representantes da B. Krick (HolzHer), Dancamac (Biesse), Homag, Marjos e Usikraft.

O texto cita também as inovações tecnológicas incorporadas aos equipamentos. Softwares desenvolvidos pelas próprias fornecedoras dimensionam volume de produção e realizam o gerenciamento de sobras.

Leia mais:
Dados do relatório anual dos fabricantes de máquinas da Europa
Fabricante dá dicas sobre acabamento de perfis
Orientações para escolha do centro de usinagem


Os comentários estão desativados.

eMobile