Relatório propõe mudanças em geração de energia

Relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial prevê investimento necessário para que geração de energia seja mais limpa e eficiente até 2040

Publicado em 27 de janeiro de 2015 | 15:30 |Por: Jorge Mariano

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em novo relatório divulgado no início deste ano, o Fórum Econômico Mundial (FEM) trata dos desafios que devem ser enfrentados no setor de geração de energia elétrica nos próximos anos. Chamada O Futuro da Eletricidade (The Future od Electricity, no título original), a pesquisa aborda questões como investimentos, mudança para sistemas sustentáveis e novos modelos de políticas, mercado e negócios a serem adotados. A estimativa do FEM é que são necessários investimentos na casa dos US$7,6 trilhão até 2040 para atender os objetivos esperados.

Leia mais:
Empresário continua desconfiado
Competitividade se mantém baixa no Brasil
Atividade industrial volta a apresentar queda

O material publicado pelo fórum funciona como um guia de atração de investimentos para o setor. De acordo com o texto, a transição para sistemas com baixas emissões de carbono iniciada pelos países membros da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD, na sigla em inglês), vem se provando um exercício desafiador, visto que depende do equilíbrio entre negócios, sustentabilidade, segurança energética e competitividade econômica.

Divulgação FEM

energia2

Participação no mercado de bens que consomem energia deve diminuir

 

Investimentos

Na última década, investimentos em geração de energia mostraram grande crescimento nos mercados da OECD. Os US$60 bilhões investidos em 2000 passaram para US$ 220 bilhões em 2012 – uma taxa de 11% de aumento ao ano.

A maior parte desse montante (54%) foi investida em fontes renováveis não hídricas – eólica, solar, biomassa e geotérmica – apesar de a geração fornecida por essas fontes ainda responder por uma pequena porcentagem do total (7% a 8%).

Oito dos nove países líderes na transformação são europeus – com mais de 10% de sua capacidade energética advinda de fontes renováveis não hídricas. Na França, país que tem a maior parte de sua energia gerada por usinas nucleares, os planos são de aumento significativo de fontes renováveis nos próximos 15 anos. Nos Estados Unidos da Améria (EUA), 37 Estados têm políticas para encorajar a geração de energia renovável e 14 já têm mais de 10% do total gerado por fontes renováveis sem o uso de água.

Preço da energia

Altos investimentos necessitam de receita para serem pagos. Isso fez com que o preço médio da energia elétrica aumentasse. Entre 2006 e 2013, as elevações foram de 2,8% para o consumidor e 5,3% para a indústria em países da OECD. Até 2040 os preços da energia para concessionárias devem subir 57% na União Européia (UE) e 50% nos EUA devido aos altos custos de operação e manutenção e novos investimentos. Os preços para consumo final também devem aumentar em 15% e 9% na UE e EUA, respectivamente, na esfera industrial. Nos EUA ainda se espera um aumento de 12% nos valores para uso residencial enquanto na UE os preços devem subir até 2020 e, até 2040, retornar ao patamar atual.

Divulgação FEM

energia3

Apesar de aumentos, tendência é que custo de produção de energia diminua até 2040

 

Os aumentos devem contribuir para uma queda significativa no mercado de bens que dependem de energia elétrica, empurrando ainda mais os mercados para investimentos que resultem em geração de energia mais barata.

Confira o relatório completo aqui (em inglês).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile