Relatório Ibá 2016: produção e consumo de painéis apresenta baixa

Queda do consumo de MDP pelas indústrias de móveis seriados é a principal causa

Publicado em 27 de novembro de 2016 | 12:00 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Lançado recentemente, o Relatório Ibá 2016 – publicado pela Indústria Brasileira de Árvores – apresenta os dados de todo o setor de árvores plantadas, incluindo a fabricação de painéis de madeira reconstituída e pisos laminados. Em 2015, a produção de chapas foi de 7,5 milhões de m³, redução de 6,3% em relação a 2014.

Divulgação

Relatório Ibá 2016

Produção brasileira de painéis de madeira teve queda concentrada no MDP

As produções de MDF/HDF, MDP e de chapas de fibras (HB) diminuíram 0,8%, 14,9% e 0,4%, respectivamente. A presidente executiva do Ibá, Elizabeth de Carvalhaes, aponta que a queda concentrada na produção de MDP, se deve ao impacto da crise econômica brasileira sobre as indústrias.

“Na maioria dos casos, o MDP é direcionado para a indústria moveleira, que inclui o segmento de móveis planejados, enquanto que o MDF tem mercado tanto com a indústria moveleira quanto diretamente no varejo, como o marceneiro – isso levou o MDP a uma pequena queda”, explica.

A publicação aponta que a diminuição do consumo das famílias levou à redução na compra de diversos produtos, incluindo móveis, principal consumidor de painéis. Nesse contexto, as vendas do produto no mercado doméstico recuaram 11,3%.

“Nos últimos três anos, a economia brasileira passa por um período de recessão. A instabilidade econômica e a redução da atividade no setor de construção civil impactaram diretamente o setor de móveis”, assinala. Por outro lado, a presidente destaca que o País ainda possui um déficit e moradias que, passada a atual crise econômica brasileira, poderá gerar boas oportunidades de crescimento para o setor.

Leia mais
Abicol anuncia novo presidente
A trajetória da Marcearia Baraúna
Sindmóveis de Bento Gonçalves tem novo presidente

Relatório Ibá 2016

9% do que é fabricado no Brasil é exportado

Comércio externo
O Relatório Ibá 2016 aponta que as exportações atingiram 641 mil m³, alta de 52,3% em relação a 2014. O crescimento de 52% foi direcionado principalmente para países da América Latina.

A região teve crescimento de 55%, passando de US$ 80 milhões em 2014 para US$ 124 milhões em 2015. Na América do Norte, a alta foi de 34%, passando de US$ 32 milhões para US$ 43 milhões em 2015.

De acordo com Elizabeth, a indústria brasileira de painéis sempre foi voltada para o mercado interno mas, atualmente, se voltaram para a exportação em uma tentativa de minimizar o impacto gerado pela redução do consumo doméstico em meio à queda na atividade econômica e principalmente do setor de construção civil.

“A conquista do mercado externo mostra que o produto brasileiro tem potencial para crescer na comercialização com outros países. E no momento que o mercado interno retomar seu crescimento, acreditamos que o setor de painéis de madeira reconstítuida cresça com números expressivos”, aponta.

Divulgação

Relatório Ibá 2016

Maiores produtores mundiais de painéis de madeira

Em 2016
De janeiro a agosto deste ano, segundo o Relatório Ibá 2016, foram comercializadas 4,193 milhões m3 de painéis de madeira contra 4,387 milhões m3 no mesmo período do ano passado, uma queda de 4,4%. Por outro lado as exportações cresceram 65,6%, saltando de 389 mil metros cúbicos para 644 mil m3.

Neste mesmo período, houve um aumento de 23% no valor exportado – de US$ 126 milhões para US$ 155 milhões. As maiores contribuições foram os mercados da Ásia – exceto China – e da Oceania, que proporcionaram um aumento da receita de US$ 6 milhões para US$ 18 milhões, marcando expressivos 200% de aumento.

Em seguida, aparece a América do Norte que elevou em 25% a receita de US$ 31 milhões para US$ 39 milhões e a América Latina que cresceu 6% e elevou a receita de US$ 78 milhões para US$ 83 milhões, respondendo por 53% do total comercializado.

Na avaliação da presidente do Ibá, o final deste ano e o início de 2017 ainda inspiram cautela, considerando que as expectativas ainda são de recuo no PIB brasileiro e inflação alta, embora em menor intensidade.

“A expectativa para a inflação indica maior impacto nos custos das empresas – já prejudicadas pelo aumento de preços no ano passado. A indústria brasileira de painéis de madeira continuará focada na exportação de seus produtos e acompanha com cautela os cenários e o desempenho do setor de construção civil e do setor de móveis no Brasil, que foram significativamente afetados pela instabilidade econômica”, finaliza.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile