Projeto Orchestra Brasil prepara segmentação das empresas

A partir de 2015, as 76 indústrias participantes serão divididas em quatro grupos, de acordo com seu nível de internacionalização

Publicado em 17 de dezembro de 2014 | 9:11 |Por: Renata Bossle

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em estudo desde o ano passado, entra em vigor a partir de janeiro o processo de segmentação do Projeto Orchestra Brasil – uma parceria entre o Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A divisão das empresas por capacidade exportadora visa o melhor direcionamento dos recursos e a adequação das ações à realidade de cada empresa.

Como o projeto é destinado à inserção das indústrias fornecedoras do setor moveleiro no mercado internacional, as empresas passaram por uma avaliação de sua capacidade exportadora e foram divididas em níveis, de acordo com sua atuação no mercado externo. São quatro patamares: não exportadoras, exportadoras iniciantes, exportadoras contínuas e internacionalizadas. A categoria está atrelada à disposição e maturidade para exportar, não tendo relação com o tamanho da empresa, número de funcionários e volume de exportações.

Leia mais:
Abimóvel assina convênio com Apex-Brasil
Consumo de móveis cresceu quase 7% ao ano
Semana D explora conexão entre design e indústria

Divulgação Sindmóveis

Consultora do Projeto Orchestra Brasil, Ana Cristina Schneider, destaca que a segmentação vinha sendo debatida desde 2013 pelo comitê gestor do projeto

Consultora do Projeto Orchestra Brasil, Ana Cristina Schneider, destaca que a segmentação vinha sendo debatida desde 2013 pelo comitê gestor do projeto

A consultora do Projeto Orchestra Brasil, Ana Cristina Schneider, conta que a segmentação foi desenvolvida pelo comitê gestor do projeto, composto por sete empresas exportadoras. Esse grupo tem reuniões trimestrais para discutir e validar as ações e decisões do projeto, além de avaliar o andamento das ações planejadas. “O projeto agora pretende dar um novo passo, com uma estratégia que permita um posicionamento diferenciado da oferta brasileira no mercado externo ao mesmo tempo em que estimula eficientemente o movimento de internacionalização da indústria”, projeta.

Com a segmentação, o Orchestra Brasil passará a oferecer ações diferenciadas para as integrantes de cada nível. As empresas não exportadoras terão acesso a iniciativas voltadas à compreensão do mercado externo, a partir do recebimento de informações com foco no início das vendas internacionais. Aquelas na fase inicial de exportações receberão apoio para diversificar seus mercados por meio de trocas com outras empresas e informações de inteligência de mercado.

No nível 3, as empresas com exportações contínuas serão foco de ações voltadas para o aumento da competitividade, com recebimento sistemático de informações de inteligência de mercado. Já o planejamento do projeto para empresas internacionalizadas terá como objetivo aumentar sua participação em relação aos principais concorrentes globais e consolidar sua imagem e marca no mercado externo. A participação subsidiada em ações de promoção comercial será oferecida às empresas de todos os níveis.

Entre as ações promovidas pelo Projeto Orchestra Brasil estão estudos de mercado; missões prospectivas; ações individuais; Projetos Comprador, Vendedor e Imagem e participação nas principais feiras mundiais do setor. Atualmente, participam do Orchestra Brasil 76 indústrias e 47 estúdios de design.

(com informações da assessoria de imprensa)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile