Produção da indústria de móveis apresenta queda em fevereiro

Dados fazem parte do estudo Desempenho do Mercado de Móveis, do Iemi, e produção, varejo e produtividade apresentaram recuo

Publicado em 13 de abril de 2017 | 16:52 |Por: Pedro Luiz de Almeida

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A produção da indústria de móveis, em volume, apresentou queda de 2,4% no mês de fevereiro em comparação ao mesmo período de 2016. No ano, o setor teve queda de 6%. Em valores nominais, sem consider a inflação, a receita da indústria ficou no negativo em 2,5%, no mês, e 3,6% no ano. Os dados fazem parte da publicação mensal Desempenho do Mercado de Móveis, do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi).

Apesar do índice positivo nesse grupo, os demais itens monitorados pelo estudo registraram queda no mês da pesquisa. No que se refere as vendas no comércio de móveis, houve recuo de 14,9%, em volume de peças, e 14,5% nas receitas. Já no ano, o setor acumula recuo de 26,5%, em volume, e de 12,5% em valores.

O emprego na indústria de móveis teve leve alta (0,3%) no mês de fevereiro de 2017. No acumulado ano, o índice acumula saldo positivo de 0,9%.

Termômetro Iemi

indústria de móveis

Notas: (1) variação sobre o mês anterior; (2) variação acumulada no ano sobre igual período do ano anterior

Comércio exterior
Em relação à balança comercial, da indústria de móveis, as exportações brasileiras foram de US$ 84 milhões, entre janeiro e fevereiro, alta de 8% no comparativo com igual período do ano passado. Já as importações somaram US$ 98,1 milhões no ano, alta de 6,6% sobre 2016. Com estes resultados a balança comercial do setor moveleiro registrou déficit de US$ 14,1 milhões em relação ao ano de 2016.

Termômetro Iemi

indústria de móveis

Nota: (1) Inclui assentos, móveis e colchões

Metodologia
O estudo Desempenho do Mercado de Móveis, elaborado pelo Iemi com o apoio da Movergs, tem como base o relatório conjuntural mensal Termômetro Iemi, complementado por consultas a fontes secundárias (IBGE, CNI, Secex e outros).

A pesquisa compreende dois tipos de comparativos. O primeiro é feito com base no desempenho do mês da pesquisa com seu anterior, neste caso: agosto/julho. O segundo leva em consideração os saldos de todos os meses para fazer um acumulado no ano, posteriormente, se compara com o mesmo período do ano anterior. A metodologia é aplicada em três cenários: Produção, Varejo e Emprego e Produtividade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook