Produção de móveis cresce 11% em maio com relação a abril

Segundo Iemi, as exportações brasileiras foram de US$ 249,7 milhões entre janeiro e maio, alta de 8%

Publicado em 14 de julho de 2017 | 14:04 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A produção de móveis no mês de maio teve registrou crescimento de 11% em relação a abril. Os dados são do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi) que divulgou a publicação Desempenho do Mercado de Móveis. Em valores nominais, a produção industrial apresentou crescimento de 12,3%. No acumulado do ano, a produção de móveis houve recuo de 1,8% em valores nominais sobre igual período do ano anterior e de -4,7% na produção industrial.

O emprego na Indústria moveleira apresentou alta de 7,9% no mês de maio e de 0,4% no acumulado do ano. A produtividade média do setor apresentou aumento de 0,7% no mês, porém com redução de 2,2% no ano.

Divulgação Iemi

Produção de Móveis Iemi

Desempenho do mercado de móveis em maio de 2017

Comércio externo
Na balança comercial da indústria de móveis, as exportações brasileiras foram de US$ 249,7 milhões entre janeiro e maio, alta de 8% comparada ao mesmo período do ano passado. As importações tiveram US$ 243,1 milhões no acumulado do ano, alta de 5,9% sobre 2016. Diante destes resultados a balança comercial do setor moveleiro teve um superávit de US$ 6.603 mil no ano de 2017.

Divulgação Iemi

Produção de Móveis Iemi

Balança comercial

Vendas
As vendas no comércio de móveis acompanharam a alta na produção de móveis e avançaram 16,3% no volume de peças e 16% nas receitas em maio de 2017. Por outro lado, no acumulado do ano as vendas de móveis no varejo teve decréscimo de 15,1% em volume e queda de 5,6% em valores.

– Em maio, crescimento da produção foi de 11,7% comparado a 2016, de acordo com IBGE 

A pesquisa é realizada pelo Instituto de Estudos e Marketing Industrial (Iemi), em parceria com a Associação das Indústrias de Móveis do Rio Grande do Sul (Movergs), com base no relatório mensal termômetro Iemi, complementado por consultas a fontes secundárias, como Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Confederação Nacional da Indústria (CNI), Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) e outros.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile