Produção de móveis em maio cresce 4,7% em relação a 2016

No entanto, produção de móveis em maio comparado a abril teve queda de 0,6%

Publicado em 5 de julho de 2017 | 11:19 |Por: Érica da Costa Diniz

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os dados dos Indicadores da Produção Industrial no País do mês de maio. A produção de móveis em maio em relação ao mesmo mês do ano anterior cresceu 4,7%. No entanto, a variação percentual do mês com o mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal, teve queda de 0,6%. No acumulado de janeiro-maio em relação ao mesmo período de 2016, foi registrado queda de 0,5%.

Produção geral
Já a produção industrial nacional mostrou avanço de 0,8% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, segunda taxa positiva consecutiva, acumulando nesse período crescimento de 1,9% e que eliminou a queda de 1,6% observada em março último. Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total da indústria apontou expansão de 4,0% em maio de 2017, avanço mais intenso desde fevereiro de 2014 (4,8%).

No índice acumulado nos cinco primeiros meses de 2017, o setor industrial acumulou acréscimo de 0,5%. A taxa anualizada, indicador acumulado nos últimos doze meses, com o recuo de 2,4% em maio de 2017, prosseguiu com a redução no ritmo de queda iniciada em junho de 2016 (-9,7%).

Divulgação IBGE

Indicadores da Produção Industrial - Produção de Móveis em Maio

Indicadores por grandes categorias

O crescimento de 0,8% da atividade industrial na passagem de abril para maio de 2017 teve predomínio de resultados positivos, alcançando todas as quatro grandes categorias econômicas e 17 dos 24 ramos pesquisados. A categoria de bens de consumo duráveis cresceu 6,7% comparado a abril e bens de capital cresceu 3,5%.

Produção geral em relação a 2016
Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial assinalou expansão de 4,0% em maio de 2017, com resultados positivos em todas as quatro grandes categorias econômicas, 18 dos 26 ramos, 51 dos 79 grupos e 59,0% dos 805 produtos pesquisados – neste ano, o mês de maio teve um dia útil a mais que em 2016. Bens de consumo duráveis (20,7%) assinalou, em maio de 2017, a expansão mais acentuada entre as grandes categorias econômicas.

Indústria moveleira apresenta indicadores de crescimento

Os números são o reflexo dos resultados positivos de móveis (4,7%) e outros eletrodomésticos (2,2%), além de grandes avanços na fabricação de automóveis (35,1%) e eletrodomésticos da “linha marrom” (26,8%). Por outro lado, eletrodomésticos da “linha branca” (-4,3%) e motocicletas (-14,8%) apontaram os impactos negativos mais importantes.

Acumulado do ano
No índice acumulado de janeiro-maio de 2017, comparado à igual período do ano anterior, o setor industrial mostrou acréscimo de 0,5%, com resultados positivos em duas das quatro grandes categorias econômicas, 13 dos 26 ramos. Entre as grandes categorias econômicas, o perfil dos resultados para os cinco primeiros meses de 2017 mostrou maior dinamismo para bens de consumo duráveis (11,0%) e bens de capital (3,5%).

Nas duas grandes categorias houve a influência da baixa base de comparação, uma vez que no período janeiro-maio de 2016 esses segmentos apontaram recuos de 24,7% e de 22,0%, respectivamente. Por outro lado, os setores produtores de bens de consumo semi e não-duráveis (-1,2%) e de bens intermediários (-0,3%) representaram as taxas negativas no índice acumulado do ano de 2017.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook