Presidente da CNI alerta para risco de desindustrialização

Em entrevista à Móbile Fornecedores, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, fala das perspectivas para 2014, faz um breve balanço do ano de 2013 e adverte para o risco de desindustrialização da economia brasileira

Publicado em 21 de março de 2014 | 9:30 |Por: Portal eMobile

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em entrevista à Móbile Fornecedores, concedida com exclusividade, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, fala das perspectivas para 2014, faz um breve balanço do ano de 2013 e enumera os principais desafios para a atividade industrial no Brasil. Um iminente processo de desindustrialização da economia brasileira, recorrentemente apontada por analistas, é vista com preocupação pelo líder em

Miguel Ângelo

Robson Braga de Andrade, presidente da CNI

Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, espera um 2014 melhor

presarial.

Para ele, “em economias avançadas, de alta sofisticação tecnológica”, o fenômeno até pode ser considerado natural. Em economias em desenvolvimento, todavia, “é um processo precoce”, diz Andrade. A entrevista foi feita por e-mail, no final de janeiro. Acompanhe os principais trechos. A entrevista completa está na edição de fevereiro/março (edição 259) da revista.

ANO DE 2013
“Foi um ano modesto, mas melhor do que 2012. No ano passado, houve expansão dos investimentos, embora pontual, principalmente em equipamentos de transporte, por exigências legais de motores a diesel com menor emissão de enxofre. Ajudou também a redução de custos, com a desoneração da folha de pessoal e das tarifas de energia elétrica, e a desvalorização cambial.

PERSPECTIVAS PARA 2014
“Estimamos um comportamento melhor do que o do ano passado, mas numa velocidade ainda inferior ao potencial da moderna e diversificada indústria brasileira.

RISCO DE DESINDUSTRIALIZAÇÃO
“O fenômeno da desindustrialização pode até ser natural nas economias avançadas, de elevada renda per capita e sofisticação tecnológica, nos quais se sobressai o setor de serviços. No nosso caso, entretanto, é um processo precoce”

Leia mais:

Expectativa de crescimento para o setor moveleiro em 2014
Duratex anuncia investimento de R$ 1,3 bi em nova fábrica de MPD e MDF 
Indústria da madeira começa o ano com crescimento 


Os comentários estão desativados.

eMobile