Qual é o destino das fitas de borda na indústria?

Assim como muitos resíduos gerados pela indústria de móveis, fitas de borda carecem de uma destinação correta e que estejam dentro de um processo limpo

Publicado em 17 de dezembro de 2014 | 13:30 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone
Fita de borda PVC

As fitas de borda de PVC são 100% recicláveis

O descarte adequado de resíduos gerados por marcenarias e indústrias de móveis pode ser um empecilho para muitas empresas. E, mesmo com a Lei nº 12.305 de 2010, intitulada Política Nacional de Resíduos Sólidos, que estabelece a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, muitos fabricantes certamente ainda enfrentam dúvidas sobre a destinação ideal dos resquícios gerados na produção de móveis.

Entre as centenas de produtos está a fita de borda, que pode ser de material duroplástico (melamina) ou termoplástico (PVC, ABS, PP, PS, PET e PMMA). Para saber qual deve ser a destinação correta que fabricantes de móveis e marcenarias podem fazer com as sobras de fitas de borda, o Portal eMobile entrou em contato com as fabricantes do produto. Confira o que elas disseram:

Artecola
“As fitas de borda de PVC são 100% recicláveis, o que acaba sendo uma fonte de renda para o fabricante de móveis, que pode vender os resíduos de processo. Por ser totalmente reciclável, é um produto que contribui para o conceito de produção mais limpa no setor moveleiro”
Rafael Müssnich, gerente de operações

CPI Tegus
“Disponibilizamos para nossos clientes todas as informações sobre a composição de nossos produtos para que eles destinem as sobras das fitas de acordo com a legislação de seu estado”
Marcelo Gama, diretor comercial

Formica®
“As empresas que utilizam os produtos precisam planejar para evitar os desperdícios. Em casos que ocorram as sobras inevitáveis, deve-se verificar junto aos órgãos públicos de cada cidade, as regras para os devidos descartes, seja por meio da queima (incineradores) ou aterros sanitários”
Eunice Monteiro, gerente de marketing

Leia mais:
O que fazer com os resíduos?
Diálogo da indústria sobre resíduos
Seminário sobre sustentabilidade vira livro

Divulgação Lamiecco

Fita de borda PET

Laminado em PET da Lamiecco

Lamiecco
“Quando o material não possui contaminações de cola e resíduos de madeira, pode ser destinado à reciclagem para subprodutos. Quando existe a contaminação com estes materiais, infelizmente, o destino é o descarte em aterros específicos para este fim. Por isso, a orientação sempre é a execução de regulagem de máquinas e testes, sejam sempre feitos com parcimônia para evitar descartes desnecessários”
Fabiane de Castilhos Chemale Selistre, supervisora de marketing

Proadec
“O PVC, que utilizamos em nossa unidade de produção no Brasil, é reciclável. Portanto, pode ser reaproveitado por usinas de reciclagem e beneficiamento. Em nossa unidade em São José dos Pinhais (PR) reutilizamos parte do desperdício da fabricação em nossa própria produção. O restante é utilizado por outras empresas na geração de outros tipos de produtos plásticos”
Ricardo Schartner, coordenador de marketing e produto

Rehau
“Todo polímero tem potencial de ser reutilizado. A queima do mesmo não é indicada. A correta separação possibilita a reutilização da matéria para outros produtos”
Camila Bartalena, gerente de marketing

Tabone
“Nossos produtos são atóxicos e recicláveis”
Ademar Simoni, diretor geral


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile