Compete Mais muda vida de marceneiros capixabas

Projeto do Sebrae atende marceneiros capixabas do Estado que estão em franca expansão com o apoio de parcerias com sindicatos, associações empresarias e outras instituições

Publicado em 10 de junho de 2016 | 10:46 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

 

 

Filhos de marceneiro, Emerson e Kleber Marinato trabalham com madeira desde pequenos, quando acompanhavam a produção na empresa do pai, aberta em 1992, em Linhares, Espirito Santo, mas nunca haviam se profissionalizado. Depois de um período trabalhando na área de informática, os irmãos, de 31 e 27 anos, fizeram o Empretec do Sebrae e em 2012 decidiram investir na reabertura da empresa do pai, mudando seu nome para Artenato. Hoje a empresa, que investe forte nas redes sociais, é destaque na produção de móveis de marcenaria personalizados e laqueados. Para chegar até aqui, os empreendedores contam com a ajuda do projeto Compete Mais – Madeira e Móveis do Espírito Santo do Sebrae.

“Temos parceria com o Sebrae desde o nosso plano de negócio até a ampliação e modernização do nosso espaço. Nunca estivemos sozinhos nessa empreitada”, explica Emerson. Com a consultoria do Sebrae, os empreendedores ampliaram o galpão e setorizaram a produção. Além disso, investiram pesado em maquinário para oferecer projetos com a laca – feita com componentes italianos – como principal diferencial. “A marcenaria aqui no Estado tem um nome forte pela qualidade que as empresas oferecem, artistas e pessoas de fora fazem seus móveis aqui, o Sebrae nos ajudou a entrar nesse mercado, a visitar feiras”, revela.

De acordo com o analista do Sebrae no Espírito Santo e Gestor de Projeto em Linhares, Colatina e Vitória,  Wilson Marchiori Junior, o Compete Mais faz parte do Arranjo Produtivo Local de Móveis comandado pela instituição desde 2003. “Nossas ações são baseadas na identificação das demandas do setor, com o foco no aumento da competitividade das empresas e melhoria dos processos produtivos”, explica. Uma das estratégias está na garantia dos empreendedores no acesso a novos mercados, com participação facilitada em feiras nacionais e internacionais, visitas técnicas a outros polos moveleiros e rodadas de negócios. É exatamente o caso da Artenato. “A empresa de Emerson tem crescido com visão empreendedora e mudanças implantadas em muito pouco tempo. Isso só se reflete no destaque dela nesse novo nicho”, acredita Junior.

A participação nas capacitações e consultorias foi uma das estratégias para evitar que a má fama dos marceneiros de atrasar a entrega dos projetos respingasse na empresa. E deu resultados: os 21 funcionários entenderam a importância do cumprimento dos prazos e a empresa já ganhou prêmios de reconhecimento pela qualidade no atendimento dos clientes. A ideia, agora, é investir na qualificação dos empregados. “Já entramos em contato com o Sebrae e o Senai para investir no capital humano da empresa”, afirma Emerson. Um dos projetos é que a Artenato se torne laboratório para cursos técnicos de marcenaria e auxilie na formação de novos profissionais.

emerson-e-kleber-marinato

“As redes sociais nos deram muito mais visibilidade, agora vendemos também para o Norte do Estado”, explica Emerson Marinato, ao lado do irmão Kleber

Inovação no atendimento – Sem um showroom físico, a participação nas Feiras e a indicação de parceiros como arquitetos da cidade e antigos clientes são os principais meios de venda da empresa dos irmãos Marinato. Mas, nos últimos meses, as páginas deles no Facebook  e  o Instagram  se tornaram ponto de venda também. “Pelas redes, pessoas que não poderiam ver nosso trabalho ficam nos conhecendo e temos sido muito mais procurados. Lá podemos mostrar nossos projetos prontos, mostramos os bastidores da empresa e temos tido tanta visibilidade que já estamos fazendo móveis até para o norte do Estado”, revela Emerson.

A criação de páginas nas redes sociais foi outra sugestão feita após participação no Compete Mais. Uma das propostas do projeto que atende 150 empresas do Estado, 50 delas que nunca haviam recebido atendimento do Sebrae, é garantir o acesso a Inovação, Tecnologia, Design, Qualidade e Sustentabilidade. “O mercado de madeira e móveis é um setor estratégico, tanto para Linhares, como para o todo o Estado , por isso investimos na relação com esses empreendedores”, afirma Junior.

 

ronaldo-garoze

“O Sebrae foi indispensável para eu não dar um passo maior do que a perna e investir apenas naquilo que trouxe resultados positivos para a minha empresa”, conta Ronaldo Garoze, da Garoze Madeiras Tratadas

Após a participação no projeto, o empresário Ronaldo Garoze, que começou a carreira fazendo caixas de embalagens para mamão 22 anos atrás, também se rendeu à tecnologia e criou um website www.garoze.com.br para melhorar o relacionamento da Garoze Madeiras Tratadas com os clientes. “Sempre trabalhamos com madeira, mas, depois de cursos e capacitações no Sebrae, fizemos diversas mudanças na abordagem estratégica da Garoze”, explica o empresário.

Entre as mudanças, hoje a empresa, que fica em Sooretama (ES), oferece montagem de estruturas como currais, cercas, quiosques, decks e piers, além do fornecimento de eucalipto de reflorestamento tratado e imunizado. “Nós trabalhamos produzindo qualidade com responsabilidade, por isso usamos como matéria-prima madeira totalmente ecológica, garantido a manutenção do ecossistema”, conta Garoze. Próxima à sua área de atuação, a empresa mantem uma área de preservação ambiental com várias espécies de árvores frutíferas e nativas, tais como: jaqueira, jabuticabeira, cedro, loro, ingá, boleira, ipê, macanaíba, açaí, jambo, cajá, aroeira etc. Além disso, todo o resíduo gerado é recolhido por uma empresa licenciada, que dá o devido fim, não causando danos ao meio ambiente.

Segundo Wilson Marchiori Junior, a empresa tem se destacado e aumentado sua participação no mercado. “A Garoze investiu na busca de conhecimento, novas tecnologias, inovação e sustentabilidade, sempre atenta às demandas do mercado. Com isso, houve aumento da sua competitividade, otimização do processo produtivo com redução de custos e, agora, acesso a novos mercados”, explica o gestor.

 

Durante o processo, o empreendedor já deixou de investir em mudanças que poderiam atrapalhar seu crescimento. “Já pedi ao Sebrae pesquisa de mudança de mercado e vi que seria inviável para nós naquele momento, com isso, não dei o passo maior do que a perna e não tive prejuízo”, comemora Garoze, presença garantida nas feiras e missões técnicas. “A relação com o Sebrae é de extrema importância para quem trabalha com madeira, ele é um importante parceiro para a pequena empresa e para quem quer aproveitar as oportunidades, obter conhecimento, mudar seu negócio”, revela.

Cerca de 60% dos clientes da empresa são agropecuárias ou produtores rurais e, nos últimos anos, a empresa, que tem 18 funcionários diretos e mais de 80 indiretos, já vende eucalipto para diversos pontos do país.

 

 Ações do Compete Mais – Madeira e Móveis de Linhares
• Aperfeiçoar a gestão empresarial – Capacitações empresariais do Sebrae Mais, Empretec e consultorias gerenciais.
• Incentivar a Inovação, Tecnologia, Design, Qualidade e Sustentabilidade – Soluções nas áreas de layout de fábrica, melhoria de processos, redução de desperdícios e uso adequado de matérias-primas.
• Promover o Acesso a Mercados – Facilitar o acesso das pequenas empresas do setor de madeira e móveis do Espírito Santo a mercados-alvo prioritários, por meio da participação em feiras, visitas técnicas e promoção comercial.

Resultados do Compete Mais
• Empresas mais competitivas
• Melhoria do processo de gestão empresarial
• Redução de custos e aumento do lucro
• Aumento da eficiência e da produtividade
• Respostas imediatas de curto e médio prazo


Os comentários estão desativados.

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook