Marcenarias do oeste catarinense discutem melhorias para o setor

Publicado em 28 de fevereiro de 2014 | 13:41 |Por: Portal eMobile

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Empresários do novo Núcleo de Marcenarias da Associação dos Moveleiros do Oeste de Santa Catarina (Amoesc), com sede em Chapecó, discutiram em 24 de fevereiro, assuntos pertinentes ao projeto. Entre os resultados do encontro estão, a criação de um planejamento de ações para buscar recursos e parceiros para desenvolver e capacitar o grupo de forma que gere um crescimento sustentável, duradouro e com resultados positivos. O grupo busca maior integração e participação nas ações do polo para melhorar a competitividade, regulamentar procedimentos e combater a concorrência desleal.

A reunião contou com a presença de 30 empresários de vários municípios que representam em torno de 600 marcenarias de Chapecó e região, pertencentes à área de abrangência da Amoesc e do Sindicato da Indústria Madeireira e Moveleira do Vale do Uruguai (Simovale). Foi definido que a diretoria do núcleo será a mesma do sindicato, mas com um diretor e um secretário que serão escolhidos entre os participantes para coordenar as ações do núcleo.

Também esteve em pauta a alteração de cláusulas específicas no Regimento Interno da associação. “Estamos escrevendo e buscando modelos de regimento para aplicar na formação do núcleo, no qual todos vão participar da formatação, sugerindo o que é melhor para o desenvolvimento do Núcleo”, explica Osni Carlos Verona, presidente da Amoesc/Simovale. A previsão é que isto esteja pronto até o final de março.

Leia mais:
Núcleo de marcenaria é criado em Chapecó
Simovale discute futuro da região
Confira nova Sob Medida

O presidente igualmente considerou importante as apresentações sobre soluções em gestão e na norma NR 12. “Há uma grande necessidade de se adequar às normas e estar dentro da lei, permitindo um desenvolvimento sustentável e sem passivo trabalhista, o que demanda muito empenho e dedicação do empresário em aplicar a NR 12. Também trabalhamos em prol de outras adequações como no âmbito da medicina e segurança do trabalho e Convenção Coletiva de Trabalho”, destaca Verona.

 

diretores-nucleo-marcenaria-sc
“Não podemos ter medo da concorrência, devemos nos unir para que haja um desenvolvimento associativista engajado”, enfatizou Osni Carlos Verona (ao centro, na imagem)
Crédito da foto: Divulgação/MB Comunicação

Outras ideias debatidas foram a ampliação de recrutamento e qualificação profissional de recursos humanos e o desenvolvimento de programas de atividade para aquisição centralizada de insumos. Sobre isto, Verona diz que a associação já tem experiência do que realmente dá certo, desenvolvendo em breve um diagnóstico e priorizar ações piloto para um impacto produtivo e positivo nas empresas que participam do grupo.

Com relação ao recrutamento de RH, o presidente considera como um fator importante perante à alta rotatividade e falta de mão de obra especializada no setor. “Estamos em pleno emprego e devemos tornar o polo das indústrias moveleiras atraente para fortalecer e valorizar o profissional da área que muitas vezes procura outra profissão em outros segmentos onerando os custos da indústria”, relata.

Objetivos do núcleo

Pioneiro em Santa Cataraina, segundo Osni Carlos Verona, o núcleo tem como objetivos acelerar o desenvolvimento das empresas do setor, buscar oportunidades de crescimento, ter informações estratégicas do negócio, sobreviver mediante os diferentes cenários do Brasil, prospectar negócios nacionais e internacionais promovendo o crescimento das empresas, além de fortalecer o pequeno empreendedor para expansão e competitividade para um mercado mais abrangente.

“Os desafios são buscar recursos, desenvolver uma agenda de trabalhos, implantar um sistema de compras conjuntas para redução de custos nos produtos de uso comum as empresas do núcleo. As oportunidades que o Núcleo terá são de participar de missões nacionais, feiras de prospecção de negócios, fornecedores de matérias-prima, máquinas e equipamentos para o setor”, acrescenta Verona. Somente poderão integrar o núcleo associados à Amoesc, o que facilita na organização e ações para o grupo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile