Acimall: Itália lidera mercado de máquinas para trabalhar a madeira

Mercado italiano está concentrando pedidos de tecnologias para trabalhar a madeira

Publicado em 18 de novembro de 2016 | 9:33 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Enquanto os valores absolutos reafirmam a extraordinária propensão da indústria italiana de tecnologia da madeira à exportação (mais de 75% da produção dos 1.800 milhões de euros são enviados para o exterior), a tendência positiva do mercado italiano em percentagem continua, após muito tempo com poucos investimentos em bens duráveis.

No trimestre de julho a setembro de 2016, o mercado de máquinas para trabalhar a madeira e materiais à base de madeira aumentou 18,3% em relação ao mesmo período de 2015 (crescimento de 21,5% no trimestre anterior). E assim como há três meses, a Itália deu a contribuição mais significativa em termos de crescimento percentual, com sólidos 28,8% depois de ter contribuído com 30,4% no período abril a junho.

Menores preocupações vêm dos mercados internacionais, que no período em análise mostraram menos interesse pela tecnologia italiana (menos 3,1 por cento) em relação ao mesmo trimestre de 2015 (no período de abril a junho de 2016, as encomendas aumentaram 17,2%).

Leia mais
– Xylexpo 2016 tem aumento de 14,2% de público em relação a 2014
– Movergs visita Xylexpo 2016

“Estamos experimentando um ‘ajuste’ inesperado do nosso cenário econômico, embora houvesse sinais de que algo estava finalmente mudando também no mercado italiano”, disse Lorenzo Primultini, presidente da Acimall, comentando os números da pesquisa trimestral realizada pelos Gabinete de Estudos da associação de fabricantes italianos.

“Há muito tempo que esperávamos um rali de investimentos de nossos empreendedores – acrescentou Primultini – e neste trimestre há evidências claras de um novo curso: nossa indústria é muito mais viva, também como resultado dos efeitos positivos das medidas governamentais e a necessidade de renovar e modernizar máquinas e plantas depois de adiar por vários anos”.

Não é só isso: “Se for aprovado o Plano Nacional Indústria 4.0, que vem sendo divulgado nas últimas semanas, será uma alavanca adicional para melhorar nossos resultados no mercado interno, com um impulso que – sem ser otimista demais – pode trazer o fim de um período muito difícil. Esperamos que as facilidades fiscais para novos móveis em projetos de renovação e o bônus para jovens pares sejam mantidos também na próxima Lei de Estabilidade”, concluiu Primultini.

Os números do relatório trimestral da Acimall indicam que as receitas aumentaram 15,8% em comparação com o mesmo período de 2015, o livro de encomendas cobre 3 meses e os preços registaram uma variação de 1,3 por cento desde 1 de Janeiro.

Pesquisa de qualidade
O escritório de estudos da Acimall também realiza um levantamento de qualidade para o trimestre em análise: de acordo com 28% da amostra, a produção está registrando uma tendência positiva, 50% indicam “estabilidade substancial”, enquanto 22% relatam volumes encolhendo. O emprego é estacionário para 83% da amostra e aumenta para 17%. Os estoques disponíveis estão estáveis de acordo com 72% das empresas da amostra, aumentando para 22% e diminuindo para 6%.


Os comentários estão desativados.

eMobile