Inteligência competitiva e identificação de oportunidades

O mercado se reinventa cada vez mais rapidamente, e o monitoramento de informações é uma ferramenta para a sustentabilidade das empresas

Publicado em 22 de junho de 2016 | 15:46 |Por: Guilherme Stromberg Guinski

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Aconteceu em 22 de junho, em Curitiba, o Comitê de Marketing: Como a inteligência competitiva pode contribuir para identificação de oportunidades e redução de custos na crise, organizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham), e com palestra de Fábio Rios, sócio da Plugar Informações Estratégicas S/A. Além de empresários de diferentes setores e segmentos, também marcaram presença o sócio-proprietário da QualityWare e presidente do Comitê de Inovação e Tecnologia da Amcham, Marcelo Piuma, e o coordenador de marketing da Nutrimental e presidente do Comitê de Marketing da Amcham, Rodrigo Mazuchowski.

Guilherme S Guinski Revista Móbile

Guilherme S Guinski Revista Móbile

Analista de produtos e serviços da Amcham, Bruna Bauer, Marcelo Piuma, Fábio Rios e Rodrigo Mazuchowski durante a abertura do evento

O evento teve como objetivo elucidar empresários sobre as oportunidades e soluções para pequenas, médias e grandes empresas geradas pela aplicação da inteligência competitiva no ambiente corporativo. Para Rios, eventos como os organizados pela Amcham são muito importantes para donos de negócios. “Eles ajudam a sensibilizar a importância sobre gestão e técnicas específicas de gestão, como inteligência competitiva, para que o empresário enxergue que a aplicação dessas técnicas pode trazer benefícios para buscar a maior sustentabilidade do negócio, para efetivamente buscar a perpetuação do negócio, para que tenha menos vulnerabilidade a crises, para que possa aproveitar melhor as oportunidades”, comenta.

Durante sua palestra, Rios abordou alguns caminhos e a importância do monitoramento de informações externas para tomadas de decisões, sejam operacionais, táticas ou estratégicas, que ajudam empresas a se estabelecerem, perdurarem e crescer mesmo em períodos de crise. Para tanto, aponta que não são necessários grandes investimentos em consultorias especializadas, acessíveis apenas a grandes empresas.
O pequeno e o médio empresário também conseguem manter um bom monitoramento do seu segmento estabelecendo de forma clara quais são os seus problemas, dificuldades e objetivos, para então definir quais informações precisa, onde e como consegui-las. Os primeiros passos variam de empresa para empresa, porém o ‘onde’ e o ‘como’, segundo Rios, estão disponíveis pela internet, abertos à todos, pois boa parte das informações necessárias, inclusive sobre os concorrentes, encontram-se nos sites de repartições públicas, basta investimento em tempo para a aquisição de dados e cruzamento de informações. Mas, como foi apontado no evento, o monitoramento de informações seja para Inteligência Competitiva como para a inovações, não é um acontecimento único, mas uma prática constante, parte da cultura organizacional de cada empresa, cujos frutos apenas melhoram com o tempo.

Confira mais detalhes sobre Inteligência Competitiva na próxima edição da revista Móbile Lojista.


Os comentários estão desativados.

eMobile