Cases da indústria moveleira em destaque no congresso moveleiro

Temas como a importância do design, além da apresentação de cases de sucesso dentro do setor moveleiro, movimentaram tarde de palestras

Publicado em 25 de setembro de 2017 | 18:17 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O 8º Congresso Nacional Moveleiro continuou seus trabalhamos na última sexta-feira (22), com o Painel: Soluções de desenvolvimento de produtos e serviços para a Indústria Moveleira. A palestra teve como moderadora, a gestora de projetos do Sebrae-PR, Adriana Kalinowski, e presença de Rodrigo Brenner da Furf Design, da diretora do Centro Brasil Design, Ana Brum, e do sócio da empresa Boulle, Rodolpho Schuster Guttierrez.

O bate-papo ministrado por Adriana, teve seu início com a apresentação de um produto diferenciado da Boulle, a lareira Lug. Com apresentação do sócio Rodolpho Guttierrez, a lareira tem algumas peculiaridades em design e inovação. Com 22 cm de diâmetro e 15 cm de altura, a peça aquece um ambiente de 15 a 18 metros quadrados, em um recipiente que abriga 600 ml de álcool de cereal, durando cerca de duas horas.

– Painel Brasil Mais Produtivo focou em aumento da produtividade no segundo dia de congresso

A peça representou o Design Brasileiro nas Olimpíadas Rio 2016 e também foi para exposição em Milão, Italia, durante a feira de Design de 2017. O próximo passo é a presença na One Design que ocorre em Montreal, no Canadá. Lá, o material receberá um novo complemento, sendo ele a bolsa de couro. O nome “Lug”, segundo o sócio da Boulle, é uma alusão às iniciais de sua esposa.

Thiago Rodrigo

Indústria Moveleira

Rodolpho Guttierrez apresentou a Lareia Lug com o diferencial de não fazer cheiro e fumaça, tendo um aproveitamento quase que total da queima de calor

Rodolpho citou que a “ideia de ter uma lareira portatil que não faz cheiro, não faz fumaça, tendo um aproveitamento quase que total da queima de calor”, é o maior diferencial do produto que tem como principal fonte de matéria-prima, a madeira maciça. Além disso, troncos, raízes e materiais de oriundos da madeira, compõe o acabamento do produto diferencial dentro da indústria moveleira.

Furf Design
Continuando no mesmo ritmo, o sócio da Furf Design, Maurício Noronha, apresentou um case completo de produtos e complementos que colocaram a marca em evidência na indústria moveleira. Antes da apresentação, Noronha comentou que o projeto começou dentro da universidade, sendo um sonho que se tornou realidade após um “tombo” que os sócios tomaram após serem premiados em Cannes e na Idea Brasil Ouro.

O primeiro produto apresentado foi o Bloom, um sofá arrojado, que teve um processo de produção artesanal e com mão de obra local, usando materiais de alta qualidade. O material também conta com almofadas nos encostos, laterais e assentos, extremamente macias. Os pés são em alumínio fundido, e elevam os móveis para conferir leveza visual.

– Painel Eco selo apresenta resultados das empresas com gestão sustentável

O diferencial e ideia do produto foi em “substituir genéricos botões de móveis por flores de couro feitas à mão por meio de uma tradicional técnica local”. Essas flores são todas feitas à mão, em couro natural (proveniente de aproveitamento de descarte da industria alimentícia) e cortado em tiras. O produto é tingido naturalmente sem pigmentos químicos para manter características naturais e trançado manualmente seguindo a técnicas tradicionais dos Pampas. 95% de todos resíduos da fabricação são reutilizados ou encaminhados para reuso.

Outro produto debatido foi o “Anjinho”, banco para crianças que colocou a marca em destaque no setor moveleiro. “Da nuvem da imaginação, brotou um fungo angelical para mães que acreditam que seus filhos são anjinhos”, comentou Maurício, em relação ao lema já estabelecido para o produto

O material que mais chamou atenção no congresso foi o “Confete”, a primeira capa adaptável e colorida de prótese de perna produzida em massa no mundo. O produto é o maior diferencial da marca no quesito de valores da marca, devido ao tamanho impacto que causou nas pessoas que adquiriram o produto.

Thiago Rodrigo

Indústria Moveleira

Maurício Noronha reafirmou o sucesso do case da Furf Design, e salientou o produto “Confete” como um dos que mais fizeram jus a filosofia da empresa

“Tivemos uma grande demanda por esse produto, as pessoas começaram a mostrar uma felicidade muito grande em utilizar ele, pelo fato de que pode ser adaptado com decorações de gosto de cliente”, pontou Noronha, que afirma ainda que muitos clientes perderam a vergonha de sair na rua, pela possibilidade diferenciada que o produto trouxe para elas.

CBD
Abordando um tema mais complexo, em contrapartida dos materiais mais sensíveis e com carga simbólica da indústria moveleira, a diretora do Central Brasil Design, Ana Brum, reforçou a importância do design, citando os exemplos da Furf Design e da Boulle, sendo a última uma das que a CDB contribuiu. “Entendemos o design como uma busca de soluções”, pontuou a diretora.

Porém, Ana Brum questionou a presença de palestras com temas levados ao design em pleno ano de 2017, mas de forma descontraída e interagindo com a plateia. “Infelizmente ainda precisamos falar de design. Sabemos que ele serve para aumentar competitividade, atingir novos resultados, inovar a empresa, diminuir o custo em relação aos meus concorrentes. Mas esse processo é incógnito, pois não se sabe como dar o próximo passo”, afirmou.

A diretora também pontuou que mesmo com a importância do design para a indústria moveleira no cenário atual, a pouca informação e direcionamento diferente de empresários, muda um pouco os rumos da utilização do design moveleiro. “Esse tipo de questionamento permeia entre os empresários, pois não é fácil se pensar sobre design, não é linear, nem óbvio e nem direto. O design acaba não sendo a primeira opção. Coisas simples e rápidas podem ajudar no negócio”, declarou.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile