Indústria de móveis planejados empregam mais de 25 mil pessoas

Segmento sofreu as consequências da crise econômica e perdeu 126 unidades produtivas entre 2013 e 2017, mas apresenta retomada com crescimento de 0,6% em comparação com 2016

Publicado em 19 de outubro de 2018 | 15:04 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Os móveis planejados vêm ganhando grande atratividade junto às indústrias de móveis do país, segundo dados do Iemi – Inteligência do Mercado. O estudo elaborado pelo instituto e divulgado com exclusividade pelo Portal eMóbile, aponta que a indústria de móveis planejados registrou 1516 mil unidades produtivas em 2017, teve 25.099 funcionários e produziu 36,1 milhões de peças, ao valor de R$ 11,3 bilhões.

Atualmente esse segmento representa 7,9% das unidades produtivas da indústria de móveis em geral e 9,0% das peças produzidas em 2017. A indústria de móveis planejados emprega mais de 25 mil pessoas e apesar do movimento de queda observado nos últimos anos, as empresas de grande porte começaram a contratar novamente. Em 2017, o pessoal empregado pelas empresas de grande porte cresceu 5,9% frente a 2016.

O segmento também sofreu as consequências da crise econômica e perdeu 126 unidades produtivas entre 2013 e 2017. A produção de móveis planejados apresentou movimento de recuperação em 2017, crescendo 0,6% em comparação com 2016. Para 2018, as expectativas apontam retomada do setor moveleiro, cuja produção deve crescer 3,6% em volume de peças sobre 2017.

Exportações do setor moveleiro crescem de janeiro a agosto

O canal mais relevante para a venda da indústria de móveis planejados ainda é o varejo especializado, responsável por absorver 88,3% da produção de 2017. Apesar da retração sofrida nas vendas deste canal entre 2013 e 2017 (-16,6%), notou-se crescimento em 2017 frente ao resultado de 2016 (+0,4%).

Em 2017, o número de pontos de venda de móveis planejados somou 6,2 mil estabelecimentos, entre redes exclusivas e lojas independentes. Os pontos de venda de móveis planejados correspondem a 14,9% dos pontos de venda de móveis em geral no país.

As vendas, em volume de peças, no varejo de móveis planejados encolheram 6,7% entre 2013 e 2017, consequência da crise econômica. Porém, em 2017 já foi observado movimento de recuperação neste canal, cujas vendas em peças cresceram 1,4% frente a 2016. Quanto aos consumidores finais desta indústria, 97,8% das empresas pesquisadas afirma que os consumidores buscam a otimização do espaço ao comprar um móvel planejado.


Os comentários estão desativados.

eMobile