Iemi realiza estudo sobre mercado de móveis planejados

Trabalho é considerado uma ferramenta para tomada de decisões a curto e médio prazo

Publicado em 15 de dezembro de 2015 | 10:25 |Por: Pedro Luiz de Almeida

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Iemi – Inteligência de Mercado, especializado em pesquisas e análises do setor de móveis, calçados, têxteis e confeccionista, acaba de divulgar o primeiro e único estudo sobre o “Mercado Potencial de Móveis Planejados no Brasil”.

O setor de móveis planejados, que tem conquistado uma grande representatividade na indústria e no comércio, devido a sua capacidade de agregação de valor, suscitou a necessidade de um mapeamento mais aprofundado.

Leia mais
Plataforma impulsiona venda de móveis planejados
Iemi divulga indicadores do setor moveleiro
Iemi aborda perspectivas para setor moveleiro

O estudo tem como intuito, contribuir para a tomada de decisões estratégias por parte das empresas que desejam se tornar mais competitivas neste ramo. Atualmente, os móveis planejados, estão inseridos em um em cada nove estabelecimentos produtores de móveis no Brasil, e comercializado por uma em cada sete lojas. No que se concerne a produção, no último ano, o montante foi de 38,7 milhões de peças (R$13,4 bilhões em vendas).

SHUTTERSTOCK

IEMI

Para este ano, o IEMI estima uma queda em produção (-5,5%), contudo, o segmento deve ter alta de 1,3% em venda.

Produção nacional
A indústria brasileira de móveis planejados produziu aproximadamente 38,7 milhões de peças acabadas em 2014, alcançando uma participação pouco superior a 8% de toda a produção nacional de móveis. Em valores, o segmento já corresponde a 23,8% das receitas geradas pelas indústrias do setor e por 21,6% das vendas do varejo (em R$), o que confere ao segmento um preço médio por peça, quase três vezes superior à média do setor moveleiro, como um todo.

Distribuição
As redes de lojas especializadas em móveis planejados, compostas por lojas próprias, franqueadas ou exclusivas das marcas, representam o principal canal de escoamento da produção deste tipo de produto e, também, a principal razão do seu sucesso, nos últimos anos.

Esse canal respondeu em 2014 por 88,8% da distribuição da produção de planejados, em volumes de peças, e por 91,0% do valor comercializado do produto no varejo (em reais). Lojas não especializadas e demais canais de venda, completam o percentual.

Shutterstock

iemi

Lojas de móveis planejados são o principal canal de venda dos produtos deste segmento.

Formadores de opinião
Como praticamente metade do público-alvo das marcas de móveis planejados pertencem as classes (A1 e A2), o trabalho em conjunto com arquitetos e designers, por exemplo, se torna crucial para o bom desempenho do mercado.

Aproximadamente 77% das redes de móveis planejados desenvolveram ações de marketing voltadas para estes tipos de profissionais, considerados os principais influenciadores na tomada de decisão por parte dos consumidores.

shutterstock

iemi

Arquitetos e Designers são considerados os principais formadores de opiniões para compra de móveis planejados.

Produção
Hoje, a indústria moveleira de planejados é composta por 1,7 mil unidades produtivas, disseminadas por quase todo o território nacional. A região Sul é onde se encontra a maior parte dos fabricantes de móveis planejados, com 39,3% do total, seguida de perto pela região Sudeste, onde se encontram 37,1%.

Shutterstock

iemi

Maior parte dos fabricantes de móveis planejados se encontram na região Sul.

Em relação à totalidade unidades produtoras de móveis em geral, as indústrias de móveis planejados corresponderam a 10,1% dos estabelecimentos em 2014.


2 respostas para “Iemi realiza estudo sobre mercado de móveis planejados”

  1. Eric Maltz Turkienicz disse:

    Olá, Por acaso vocês possuem o dado de número de lojas de planejados no Brasil?
    Atenciosamente,
    Eric Maltz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile