ForMóbile 2016: Interprint aponta tendências

O experiente designer italiano, Maurizio Burrato, compartilhou conhecimentos sobre como entender e interceptar tendências para melhor projetar

Publicado em 28 de julho de 2016 | 10:59 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A Interprint, empresa alemã especializada em design de superfícies, trouxe para o Brasil um dos principais designers e criadores de tendências da marca, o designer italiano Maurizio Burrato. O profissional apresentou a palestra “novos padrões, novas cores e novos processos”, durante o Design Forum, série de encontros que acontece durante a 7ª ForMóbile – Feira Internacional de Fornecedores da Indústria Madeira e Móveis.

Burrato explicou que a palavra experiência é o caminho para tentar entender as próximas tendências. Durante a apresentação apontou as tendências atuais. Segundo ele, devido a crise na Europa, houve um aumento no uso dos paletes para a fabricação de móveis, isso porque se trata de um material de baixo custo. A tendência do décor industrial se mostra no momento em alta.

Uma das apostas de Burrato como próxima tendência é o retorno do design dos anos 1960 por meio de uma interpretação moderna. Ele contextualiza que o design dos anos 1960 surgiu após o design escandinavo e que vem captando o movimento em roupas, cores e materiais.

A aplicação dessa tendência ao mobiliário pode ser feita pela combinação de padrões que remetem ao concreto a tons como verde oliva e madeirados em carvalho. “Nesse caso, os veios da madeira não serão tão marcados como no aspecto rústico. Nessa linha, as combinações de tons neutros com azul e cinza pode funcionar bem”, assinalou.

Leia mais
– ForMóbile 2016: 10 erros comuns em projetos de cozinhas
– ForMóbile 2016: Leitz exibe soluções para usinagem
– Interprint recebe clientes durante iSaloni 2016

A arquitetura é para Burrato uma das grandes fontes de inspiração do design dos anos 1960. O uso de novos materiais em fachadas pode ser facilmente transferível para o mundo do design de mobiliário. Poder dos metais – Outro aspecto interessante são os materiais que recebem um tratamento profundo de escovamento e jato de areia de forma a explorar a ‘alma da matéria’. Esse tipo de padrão combina bem com cores que remetem ao bronze e ao cobre.

A sugestão do italiano é que os metais devam ser melhor explorados no design de interiores como , por exemplo, “Ferro, aço, cobre, latão e tons oxidados não brilhantes”, explicou. Burrato instigou a audiência ao questionar o que transforma uma casa em lar. A resposta é o comportamento humano. Para ele, na evolução da sociedade, a casa é o teatro onde acontecem as principais transformações. A casa é resultado da soma do espaço físico mais o componente pessoal. “A família mudou muito e as influências externas influenciam muito o design da casa”, analisou.

Nesse aspecto, o designer chamou atenção para a relação entre o pessoal e o coletivo. Ou seja, como o eu se enxerga como pessoa e como o eu se enquadra como grupo social. A queda das paredes que separavam os ambientes. Hoje não há separação entre o ato de se preparar e de consumir a comida. Houve a união entre preparo e socialização.DSCN2878

O palestrante destacou o conceito do we-house que é o oposto da personalização que pode ser traduzida pelo conceito filosófico do nômade house. A tecnologia desempenhou um papel importante na mudança da forma de viver influenciando o que ele chama de phygital house. A tradução desse cenário para o design de interiores pode ser feita pelo uso do padrão Clark, que remete a madeira natural, transmitindo calor e conforto.

Para Burrato as transformações sociais afetaram também os ambientes de trabalho e sugere que quem atua nessa área esteja atento para o futuro do trabalho. O uso de tonalidades de verde nesses ambientes cai bem porque aproxima a natureza do espaço.

Em relação a questão da importância da experiência de marca, o profissional define a evolução da seguinte forma: era da necessidade, era do desejo e era da experiência. “Já não basta apenas criar um produto desejável pois estamos rodeados de coisas belas, o que define determina a compra é de fato a boa experiência sentida pelo consumidor”, ensinou.
Para exemplificar a questão mostrou exemplos da loja localizada na França especializada em venda de água e a própria iniciativa da Interprint em projetar o showroom sediado na Alemanha. O espaço foi cuidadosamente ambientado para que o cliente possa de fato se concentrar no produto.

Maurizio Burrato trabalha na área de painéis desde o início dos anos 1990, tendo acompanhado ao longo de sua carreira todo o processo e desenvolvimento de novos produtos na área. Trabalhou por muito tempo no grupo Mauro Saviola – uma das maiores e mais importantes empresas de painel da Italia, responsável por marketing e desenvolvimento de novos produtos. Desde 2013 Maurizio faz parte do time internacional de designers da Interprint, responsável pelo desenvolvimento de novos produtos, e pesquisa de tendências e comportamento. Maurizio já levou as apresentações de design da Interprint para todo o mundo, passando por países como Polônia, Turquia, Rússia, China, Brasil e outros mais.


Os comentários estão desativados.

eMobile