Fita de borda: acabamento que diferencia

Indo muito além da função de dar acabamento aos móveis, a fita de borda agrega valor ao produto final

Publicado em 10 de junho de 2014 | 14:09 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Mais do que simplesmente dar o acabamento ao móvel e evitar que o miolo da madeira fique aparente, atualmente a fita de borda se tornou um elemento essencial. Devido as suas características físicas e mecânicas, são vários os tipos disponíveis no mercado. Assim como seu efeito de design e estética, que agrega valor ao mobiliário.

Divulgação Formica/Jomar Bragança

Atualmente a Formica® trabalha somente com padrões da sua linha de laminado decorativo

Atualmente a Formica trabalha somente com padrões da sua linha de laminado decorativo

Para a gerente de marketing e produto da Rehau, Camila Bartalena, o material resulta em diferencial por ter um design inovador e arrojado com seus diferentes tipos de desenhos, brilhos e texturas. Diante do destaque que as fitas ganharam, o coordenador de marketing e produto da Proadec, Ricardo Schartner, destaca a textura e o brilho como fatores que mais despertam a atenção do consumidor. “De maneira geral o marceneiro precisa achar o seu diferencial para que possa ser mais valorizado pelo seu trabalho”, frisa.

Tipos

Existem as fitas melamínicas (papel) e termoplásticas (plástico) – veja box. As fitas termoplásticas têm maior qualidade e durabilidade, pois são produzidas em material mais resistente que o papel melamínico – mais utilizadas na indústria.

Leia mais:
Iluminação para cada fase da vida
Ubá: Referência da diversidade e força mineira
Ducasse é sinônimo de inovação

Segundo as fontes consultadas, o uso da fita termoplástica de PVC prevalece na marcenaria, sendo mais prática quanto ao seu manuseio e aplicação, e mais resistente. Apresentam também as melhores propriedades quanto ao destopo e refilo. “Os produtos possuem formulações especialmente desenvolvidas para evitar o amarelamento, trincas, riscos e manchas”, explica o diretor operacional da Artecola Química, Rafael Müssnich.

Divulgação Max Italia

A espessura e a largura das fitas de borda da Max Italia podem atingir medidas que não são facilmente encontradas no mercado

A espessura e a largura das fitas de
borda da Max Italia podem atingir medidas que não são facilmente encontradas no mercado

O executivo de vendas da CPI/Tegus, Pedro Penido Ferreira, explica que a fita de PVC possui uma grande resistência a agentes químicos, umidade e calor, além de facilidade no trabalho, sendo a melhor opção para o dia a dia do marceneiro. Motivo de sobra para a Lopar comercializar apenas este tipo de fita. “Entendemos atender perfeitamente o mercado com a qualidade que as de PVC que, inclusive, são as que comercializamos”, destaca o gerente comercial, Wilmar Trindade.

Já a fita ABS apresenta as mesmas características do PVC, com ressalvas. “Tem menor densidade, logo é mais leve. É muito utilizada na indústria, porém seu preço é mais elevado e necessita de maior habilidade na aplicação. A espessura mais comercializada é acima de 1 mm”, considera o gerente de marketing e produto da Formica®, José Reginaldo Missiato.

Uma outra opção de fita de borda que o mercado oferece são as produzidas com madeira pré-composta. A Max Italia fabrica este produto com opções de acabamento envernizado ou revestimento ABS. “O diferencial nos projetos executados com lâminas de madeira é um acabamento feito do mesmo material da superfície, encurtando o tempo de produção e possibilitando o uso de quaisquer maquinários para fitar”, diz o sócio-proprietário, Rodrigo Henriques.

Divulgação Rehau

A linha Raukantex Visions, da Rehau, leva aparência de vidro e efeito de sombras nos tons verdes, azul ou cinza

A linha Raukantex Visions, da Rehau, leva aparência de vidro e efeito de sombras nos tons verdes, azul ou cinza

Colagem

Um dos detalhes importantes para a aplicação da fita de borda é a qualidade do primer utilizado na sua produção. O composto que vem aplicado no verso da fita é responsável para permitir a aderência da cola. “O marceneiro precisa de segurança na aplicação para não ter reclamações e retrabalho na casa do cliente. Uma fita descolando do móvel representa um enorme transtorno”, relata Schartner, da Proadec. As fitas de borda de lâminas de madeira da Max Italia aceitam todos os tipos de cola, até mesmo para processos como hot melt, assinala Henriques.

Confira essa reportagem completa na edição 84 da revista Móbile Sob Medida.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook