Cidades do Sul do Brasil lideram exportações de móveis em 2017

São Bento do Sul (SC), Arapongas (PR) e Bento Gonçalves (RS) lideram a lista dos polos moveleiros que mais exportaram em 2017

Publicado em 22 de fevereiro de 2018 | 14:32 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Em 2017 o Brasil avançou 7,5% nas exportações de móveis em relação ao ano anterior, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). No acumulado entre janeiro e dezembro foram US$ 658,2 milhões em valores negociados frente a US$ 612,3 milhões de 2016. Os dez polos moveleiros que mais contribuíram para o crescimento são todos do Sul do País, com destaque para o estado de Santa Catarina.

Leia aqui sobre as exportações de móveis de janeiro a setembro de 2018

O polo moveleiro de São Bento do Sul (SC) lidera o ranking das principais cidades em exportações de móveis, com participação de 13,2% no comércio exterior de mobiliário. As empresas do município catarinense contabilizaram US$ 86,8 milhões em exportações. Na sequência figuram Arapongas (PR), com US$ 40,7 milhões; Bento Gonçalves (RS), com US$ 35,3 milhões; Caçador (SC), com US$ 32,1 milhões; e Campo Alegre (SC), com US$ 29,7 milhões.

Exportações de móveis

Quanto ao cálculo feito por estados, Santa Catarina também se mantém a frente. Em 2017, acumulou US$ 237,6 milhões em exportações de móveis, participando com 36,1% do comércio exterior. Logo atrás estão Rio Grande do Sul (US$ 190 milhões), Paraná (US$ 99,2 milhões), São Paulo (US$ 80,9 milhões) e Minas Gerais (US$ 21,3 milhões).

Exportações de móveis

Os Estados Unidos continuam sendo o principal destino das exportações de móveis brasileiros, absorvendo 26,4% dos produtos em 2017, seguidos por Reino Unido, Argentina, Uruguai, Peru, Chile, Paraguai, Bolívia, França e México.

Exportações de móveis

Diferenciais de empresas focadas em exportações de móveis

Para o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul (Sindusmobil), a liderança da região nas exportações está vinculada à experiência adquirida no atendimento ao mercado internacional, à flexibilidade na produção, à utilização de madeira maciça renovável, ao padrão de qualidade na fabricação que atende as exigências dos clientes e ao cumprimento rigoroso à programação de entrega dos pedidos.

“As indústrias do nosso polo moveleiro também investiram forte em novas e modernas tecnologias, que tornaram os processos mais eficientes e ágeis. O resultado é a maior competitividade para conquistar e manter clientes externos”, afirma o presidente da entidade, José Antonio Franzoni.

De acordo com os dados da Secex, uma das empresas que lidera o ranking de exportações é a Móveis 3 Irmãos, de Campo Alegre (SC), que tem como carro-chefe as cômodas. Para o analista comercial de exportação da empresa, Matheus Ernesto Zem, o rígido controle interno de produção e qualidade, bem como o comprometimento na entrega do produto dentro do prazo contratado, colocam a companhia na dianteira do comércio exterior de mobiliário no Brasil.

– Exportações do polo moveleiro de São Bento do Sul foram de 11,2% em 2017

“Nós pensamos muito no cliente. O importante é que nunca deixamos de inovar e estamos sempre de olho no que está acontecendo no mercado. Apesar de participamos ativamente de feiras internacionais, são as empresas de fora que nos procuram, reconhecendo nossa qualidade e nossos índices de entrega. Hoje nossos principais destinos são Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha e Reino Unido”, diz o analista comercial.

Outra empresa que é destaque em exportações é a Móveis Treboll, de Flores da Cunha (RS). Com recém-completados 30 anos, a fabricante atua com foco no mercado externo, vendendo sobretudo móveis para dormitórios. Política de promoções, manutenção de parceiros e fortalecimentos de relações integram suas estratégias de negócios.

“Acredito que um dos nossos diferenciais é que conseguimos manter os negócios mesmo com a oscilação do dólar. Estando a moeda em alta ou em baixa, nós preservamos nossos clientes. Outro aspecto é que passamos a trabalhar diretamente com o cliente final e a cada ano lançamos novidades no mercado”, diz o diretor comercial da empresa, Tobias Curra.

Também do RS, o Grupo K1/Kappesberg aponta que continuar cativando os clientes já conquistados no exterior é uma ação fundamental para as exportações. O gerente de exportações da empresa, Fábio Anschau, afirma desenvolver um trabalho para identificar junto aos clientes a melhor forma de lhes oferecer produtos relevantes, criando até mesmo produtos exclusivos para atendê-los.

“Nosso contato com o mercado externo acontece por meio de eventos onde sempre procuramos estar presentes, especialmente nos mercados onde nosso produto tem plena aceitação. Mas também dispomos de uma qualificada equipe de representantes, que sob a gestão de nossa área comercial de exportação, está constantemente presente nos países dos quais já temos clientes e realizamos o acompanhamento das vendas de nossos produtos, e também nos mercados onde desejamos formar novos parceiros. O Grupo K1 exporta já para mais de 40 países entre eles destacamos os Estados Unidos, Inglaterra, Peru e Argentina”, informa Anschau.


Os comentários estão desativados.

eMobile