Empresas de sucesso: o que fazem?

Confira o Pensar Estratégico da edição 260 da Móbile Fornecedores com o antropólogo, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior, Luiz Marins

Publicado em 31 de maio de 2014 | 14:21 |Por: Joana Castro, equipe Conteúdo

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Studio Paulo

Luiz Marins

Luiz Marins é antropólogo, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior

Uma das coisas que mais nos chama a atenção é como no mundo de hoje, extremamente competitivo, há empresas que vencem os desafios e empresas que sucumbem frente à concorrência. Analisando o que fazem as empresas de sucesso, podemos enumerar algumas coisas fundamentais:

1. Não perguntam o que seus clientes querem: surpreendem seus clientes! – Uma das coisas que temos que lembrar é que as empresas de sucesso não ficam perguntando o que seus clientes desejam. Nem sempre os clientes sabem o que querem. As empresas é que têm a obrigação de, ouvindo o mercado, desenvolver produtos e serviços que vão surpreender seus clientes, encantar seus clientes. Se você ficar perguntando o que seu cliente quer, com certeza aparecerá alguém que irá surpreender o seu cliente e tomá-lo de sua empresa.

Leia mais:
Financiamento de capital de giro pode ser a solução
Marketing e comunicação: aposte nas redes sociais
Sob Medida traz informações para a qualificação

2. Entendem que prestação de serviços é o novo nome do jogo – Essas empresas entendem que de nada adianta você ter o “melhor produto” ou o “maior estoque”. O importante é ter “o melhor serviço”. Assim, por exemplo, num supermercado de nada adianta ter as gôndolas cheias e bem apresentadas se o cliente demorar 50 minutos para sair no check out. De nada adianta ter tudo perfeito se a empresa não for ágil no trocar produtos com defeito e não se comprometer com a solução dos problemas dos clientes.

3. Sabem que o maior capital de uma empresa é o “capital humano” – Assim, essas empresas treinam, treinam e treinam seus funcionários e fazem com que eles tenham empatia com os clientes (isto é, coloquem-se no lugar do cliente) quando com eles se relacionam. De nada adianta ter uma empresa muito bem apresentada, com instalações perfeitas, se as pessoas que compõem a empresa não surpreenderem seus clientes.

Confira o artigo completo na edição 260 da revista Móbile Fornecedores.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile