Economistas do Boletim Focus alteram projeções do PIB

Após consecutivas projeções de queda, Boletim Focus apresenta ajuste positivo do PIB por três semanas. Tendência é que o resultado continue favorável

Publicado em 21 de setembro de 2017 | 15:40 |Por: Pedro Luiz de Almeida

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Após a divulgação dos resultados do Boletim Focus desta semana, especialistas se mostram mais otimistas com a recuperação da economia. De acordo com a publicação semanal do Banco Central do Brasil (BC), o PIB do País crescerá 0,60% neste ano, terceiro aumento consecutivo.

Divulgação iStock

Boletim Focus

A inflação deve fechar 2017 em 3,2%, chegar a 4,3% em 2018

Conforme análise dos economistas e entidades responsáveis por traçar os cenários e projeções do relatório, considerado como o monitor mais confiável para o desempenho da economia do País, o relatório apresentou também a primeira variação positiva na expectativa para o ano de 2018, depois de se manter estável em 2% por nove semanas.

Na análise do professor e membro do Comitê Macroeconômico do Instituto Superior de Administração e Economia (Isae), Christian Frederico da Cunha Bundt, com base na opinião dos pesquisados pelo Boletim Focus, vê-se um intervalo pequeno neste ano, entre 0,34% a 0,60%. “A diferença é pequena em percentual isolado, mas quando as grandezas são comparadas, vê-se em determinados momentos uma variação de 76% entre os meses de julho e setembro de 2017”, firma Bundt.

O relatório Focus é feito com base na visão de especialistas considerados de alta qualidade e referência em prognósticos do comportamento da economia. O resultado deles é embasado em fatores como perspectiva da taxa de inflação, da taxa SELIC, o nível de emprego, a confiança na economia, a taxa de câmbio para o dólar e outras moedas importantes.

iStock

Boletim Focus

Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta do PIB de 2,10% para 2,20%

Tênue equilíbrio
Bundt, também, chama atenção para informações sobre a atividade econômica, que deixaram de constar entre os fatores que geram risco de fazer a inflação ter comportamento diferente do previsto e provocar ajustes na estratégia para a taxa de juros, na ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

“Implicitamente há um recado de firmeza, de crença na estabilidade da economia nacional. Importante entender corretamente o recado: se o Copom acredita que a atividade econômica não trará influências negativas para a inflação, também não trará influências positivas”, explica.

Para o especialista, a cenário encontra-se estável. Porém, ele acredita que há uma linha tênue que separa a estabilidade da estagnação. “Muita atenção ao seu negócio! E lembre-se que as oportunidades também aparecem em momentos de estabilidade e/ou de estagnação”, finaliza o professor.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook