Internacionalização de empresas e design autoral em foco no Congresso Moveleiro

Segundo Andre Leal, especialista comercial, 70 mil empregos já foram gerados nos Estados Unidos por empresas estrangeiras

Publicado em 22 de setembro de 2017 | 15:14 |Por: Gabriela de Lara

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Na tarde do primeiro dia do  Congresso Moveleiro, ocorreu o painel ‘Sala Abimóvel’, na estação sistema Fiep. Ocasião em que a internacionalização das empresas e design autoral estiveram em debate. O painel foi mediado por Maristela Cusin Longhi, vice-presidente da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário – Abimóvel, e contou com a presença do especialista comercial do consulado geral dos EUA em São Paulo, Andre Leal, e do designer de móveis Fernando Jaeger.

Pedro Almeida

Congresso Moveleiro

O painel Sala Abimóvel iniciou a tarde de painéis do Congresso Moveleiro no Campus da Indústria Sistema FIEP

Leal explicou sobre o programa SelectUSA, criado para auxiliar empresas estrangeiras a compreender as possibilidades de negócio no mercado norte americano. “Os EUA é um dos mercados mais complexos em relação a legislações, por isso colocamos suporte gratuito do governo a disposição das empresas”, conta Leal.

Segundo números apontados por Leal, o Brasil é o sétimo país em termos de crescimento de investimento. Por isso, Andre e sua equipe se reúnem em grupos de trabalhos compostos por membros dos diversos departamentos do governo americano para discutir aspectos e barreiras que podem dificultar a entrada de empresas no país.

“Estamos tentando buscar novas alternativas para alavancar o setor moveleiro. Internacionalizar é começar a importar um design, uma matéria-prima, uma solução. O Brasil é um mercado muito grande, quando a gente abre uma empresa o foco é o mercado nacional, mas nós queremos mostrar para as empresas brasileiras como é importante pensar além das nossas fronteiras”, comentou Andre Leal.

Design e autenticidade
O segundo momento do painel contou com a presença do designer de móveis,  Fernando Jaeger, que contou sobre o início de sua carreira no setor e sobre como aproveitar a tecnologia atual para produzir o autoral, a qualidade e o seriado na movelaria.

Pedro Almeida

Congresso Moveleiro

De acordo com dados da Abimóvel, SP, PR, SC e RS são responsáveis por 95% da exportação para os EUA

Jaeger falou sobre seus projetos de trabalhar com produtos mais acessíveis, e de como é possível agregar valor a um produto não muito competitivo utilizando o design. “Eu sempre trabalhei na questão de socializar o design porque muita gente gosta, mas muitas vezes está além da sua possibilidade econômica”, assinala Jaeger.

Após falar sobre plágio e direitos sobre produtos Jaeger dá exemplo de como é possível tornar um trabalho exclusivo e com mais personalidade. “Nós investimos em umas 15 fábricas de tecidos brasileiras, muitos tecidos, cores e estampas nós desenvolvemos com exclusividade. Nós viabilizamos a possibilidade de ter coleções de tecidos diferenciados, porque eles agregam valor e dão a cara que a gente quer ter nos nossos produtos”, destaca.

Outro fator importante destacado pelo designer durante o Congresso Moveleiro é a autenticidade dos produtos, que pode ser demonstrada muitas vezes com detalhes muito sutis. “O autentico é o que pode mudar a cara e a renda da empresa. Eu acho que a gente não lida só com produto, lida com as emoções, porque as pessoas vão chegar em casa após uma viagem, um dia de trabalho e vão ter um momento acolhedor”, conta Jaeger.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile