Congresso Nacional Moveleiro: soluções que impactam o mobiliário

Segundo dia de evento contou com painéis da Abimóvel e com soluções que impactam o mobiliário, além da premiação Pregos e Cavados

Publicado em 16 de setembro de 2016 | 16:34 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Thiago Rodrigo/Revista Móbile

Congresso Moveleiro

Palestrantes do painel Soluções que impactam o mobiliário

Na tarde do segundo dia do 7º Congresso Nacional Moveleiro, realizado no Campus da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), no painel “Soluções que impactam o mobiliário”, o público pode conhecer mais sobre as mudanças no tamanho dos apartamentos, dos consumidores e do novo cenário para marcenaria.

Coordenada pela diretora do Centro Brasil Design (CBD), Ana Brum, o painel teve a arquiteta e design, Katalin Stammer, que apresentou mudanças nos ambientes nas últimas décadas. Nos anos 1970, as residências tinham em média 100 m², na década seguinte tinham 87,8 m², em 1990 diminuíram para 72,85 m², passou aos 73,76 m² nos anos 2000 e alcançar 59,60 m² a partir de 2010. “Tudo isso gera uma mudança de comportamento das pessoas que passam a valorizar mais o espaço, gerando um novo comportamento”, assinalou Katalin. Além disso, há a necessidade de personalização por parte dos consumidores, por quererem imprimir sua identidade no espaço reduzido.

Leia mais
– Congresso Nacional Moveleiro: revisão da noção de custos
Top Móbile: revelado os vencedores
Top Móbile: galeria de imagens

Já o especialista técnico do sistema Firjan do Rio de Janeiro, Hugo Costa Gripa, falou sobre o comportamento de consumo e modelo de negócios, apontando novos valores e novos comportamentos de consumo. Nesses novos tempos de consumo, tivemos a era da necessidade que foi o foco na produção; a era do desejo tem foi o foco no produto; e agora é era da experiência onde o foco está no usuário. Assim, processo, produto e mercado, planejamento bastante utilizado pelas empresas, é diferente de mercado, produto e processo que consegue transmitir o foco no usuário. “O consumidor quer experiência”, ressaltou. Os 4p’s do marketing também mudaram na visão de Gripa, que aponta, agora, 4c’s. Produto, preço, praça e promoção, tornaram-se consumo, custo, concorrência e comunicação, respectivamente.

Thiago Rodrigo/Revista Móbile

Congresso Moveleiro

Claudia Lens, do Senai

Designer do Senai Arapongas (PR), Claudia Lens ministrou sobre o “Novo cenário para marcenaria”, sinalizando que os marceneiros devem se reinventar e entregar valor agregado por meio da inovação e criatividade. Utilizar o design estratégico para alcançar estes resultados (até mesmo com consultoria do Senai) é uma das maneiras. Utilizar essas ferramentas geram dados que fazem ter mais assertividade na execução dos projetos. Claudia sinalizou que um maior tempo dispensado no projeto e engenharia do produto, diminui consideravelmente o tempo de usinagem e montagem do mobiliário.

“Para alcançar este objetivo, é necessário, além das ferramentas, a integração dos setores, que o designer conheça todo o resto do processo”, frisou. Desta forma, a eficiência (foco no custo), a eficácia (foco no resultado) e a efetividade (foco no cliente), gera maior produtividade e o resultado desejado será mais satisfatório para o cliente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook