Congresso Movergs: Iemi propõe saída para a crise

Publicado em 1 de julho de 2016 | 17:19 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

 

O 26º Congresso MOVERGS iniciou seu ciclo de palestras com o economista e sócio-diretor do IEMI – Inteligência de Mercado, Marcelo V. Prado.

Trabalhando o tema “Os números da Indústria de Móveis no Brasil”, o empresário mostrou, através de números e perspectivas, uma análise profunda dos últimos 10 anos da indústria moveleira nacional, a partir da oferta e demanda.

Prado iniciou a palestra antecipando que os números que seriam apresentados eram quase que em sua totalidade ruins, e que representavam os danos que a crise causou. “Não se sai do buraco sem fazer força para sair do buraco”, afirmou, fazendo uma relação direta com o momento que o Brasil vive, e completou: “Quando se esquece de onde vem, não se sabe para onde está indo”.

Usando exemplos do dia-a-dia, o economista destacou que não se pode dirigir um carro olhando pelo retrovisor e que, mesmo com o panorama atual, é necessário olhar para a frente.

Prado destacou que o desafio em 2015 era ser menos afetado pela crise. Hoje, é sair dela e retomar o mercado. “O empresário tem que se preparar para largar na frente. A crise vai passar e, quando isso acontecer, quem tiver se preparado vai colher melhores resultados”.

26º Congresso Movergs

26º Congresso Movergs

Para ele, a inovação tem que ser tema de todo o dia para os executivos. “É preciso se perguntar: O que estou fazendo para inovar? O que vou mudar? O que vou fazer para melhorar? O conjunto da obra disso é o que vai gerar bons resultados lá na frente”.

Segundo o economista, quando não crescemos é porque não fomos capazes de administrar um momento ruim e se colocar no grupo daqueles que, mesmo com a crise, continuaram crescendo.

O palestrante pontuou também a mudança do consumidor e dos canais de varejo, que não são mais os mesmos. Destacou que conhecer bem o cliente é uma regra básica, mas que, em algum momento, o empresário se esqueceu disso. “É necessário que o executivo saia da sua cadeira e vá entender a demanda e a necessidade, quem usa seu produto, quem tira dinheiro do bolso para comprá-lo, como se faz essas escolhas e que é essa pessoa que toma as decisões no ponto de venda, pois não é a empresa que escolhe o cliente e, sim, ele que escolhe a sua marca”.

Para ele, quem está em crise deve sair da sua zona de conforto e repensar o modelo de negócio, a forma de atuar, o seu produto e a maneira de comercializar. “A crise está fazendo com que isso aconteça. De uma forma dolorida, mas que depois será para o bem, pois é uma oportunidade de fazer diferente e ir além. Isso é o caminho para a renovação”, afirmou.

Prado sinalizou que o segundo semestre de 2016 continuará difícil para o setor, mas que a expectativa é de que a curva de crescimento retome em 2017. “Primeiro nós temos que buscar a retomada e isso não vai ser um crescimento expressivo, de imediato. Será o começo de um crescimento contínuo e lento. A partir dali, serão criadas as condições para um desenvolvimento mais rápido”.

Segundo o economista, este panorama positivo vai depender muito do cenário econômico do Brasil e dos ajustes que estão sendo feito. “Não faltarão oportunidades. Existe, até mesmo, a possibilidade de capital estrangeiro entrar País como investimento para fomentar negócios. Mas isso será paulatinamente, passo-a-passo. Não vai cair no nosso colo um mercado comprador, super aquecido e demandador de produtos de móveis de qualquer tipo e preço. O que vai acontecer é parar de piorar, começar a melhorar os números e, somente depois, avançar”.

Quanto a melhor estratégia para vencer a crise, Prado disse não existir uma receita básica, porque não existe somente uma estratégia que possa dar certo. “A estratégia correta é aquela que é melhor administrada, e isso tem muito a ver com a vocação do negócio, formação da equipe, do tempo e recursos, de como se pode tirar o máximo de proveito disso e do grau de capacidade que o gestor tem para fazer suas escolhas. E só vai dar resultado, seja a escolha qual for, se tudo isso estiver alinhado coma sua vocação, administração e organização. Ou, não trará resultados”.

O 26º Congresso Movergs aconteceu em 30 de junho, em Bento Gonçalves. O evento é promovido pela Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul – Movergs, e teve como tema principal: “Renovação- Atitudes em busca de melhores resultados”.


Os comentários estão desativados.

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook