Congresso Movergs: um olhar sobre o ambiente econômico e político

Segundo o palestrante, haverá uma estabilização nos setores da indústria e da construção civil

Publicado em 1 de julho de 2016 | 17:06 |Por: Cleide de Paula

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 
26ºCongressoMovergs (51)O economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves expôs, durante o 26º Congresso Movergs, um panorama de recessão e prejuízos da economia brasileira, mas apontou para uma provável estabilização nos próximos meses.  De acordo com as previsões dele, nada mudará no âmbito econômico do país até a resolução do impeachment ou, até mesmo, novas eleições.

O economista salientou que talvez não haja ainda, este ano, ambiente político para que sejam encaminhadas melhoras econômicas a curto prazo.

Durante a palestra, Gonçalves indicou caminhos para que os empresários possam amenizar os efeitos desta crise. “Tem que buscar mais eficiência, reduzir estoque, trabalhar com menos dívida, reduzir custo operacional onde for possível e aproveitar a oportunidade para pensar que tipo de parceria é mais importante de desenvolver”, afirmou.

Segundo o palestrante, haverá uma estabilização nos setores da indústria e da construção civil. Já referente ao setores do comércio e de serviços, devido à entrada tardia na crise, tendem ainda a piorar.

José Francisco de Lima Gonçalves finalizou apontando o Brasil como possível destino de investimentos estrangeiros, devido à atual conjuntura econômica de países como os Estados Unidos, Japão, Inglaterra e China. O economista ressaltou que os juros baixos do País e a previsão de uma inicial recuperação econômica seriam o principal atrativo para estes investidores.

O Congresso Movergs é promovido pela Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul – Movergs, e  teve como tema principal: “Renovação- Atitudes em busca de melhores resultados”.


Os comentários estão desativados.

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook