As 500 maiores empresas do Sul

Publicado em 10 de novembro de 2016 | 11:37 |Por: Guilherme Stromberg Guinski

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

 

Daniel Derevecki - La ImagemPara um ano em PIB desabou 3,8%, até que a elite empresarial da região Sul do Brasil conseguiu um desempenho honroso. Juntas, as 500 maiores do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul produziram em 2015 vendas de R$ 514,6 bilhões, 8,1% a mais do que na edição anterior do ranking GRANDES & LÍDERES – 500 MAIORES DO SUL. Lançada na última quarta-feira, 9/11, na sede da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), a edição 2016 do ranking da Revista AMANHÃ e da PwC mostra como as principais empresas da região conduziram seus negócios em um ano tão desafiador.

A lista das 500 Maiores mostra, outra vez, o avanço de Santa Catarina, que emplacou 131 companhias – cinco a mais que na edição anterior. O Estado com maior número de representantes segue sendo o Rio Grande do Sul, com 188, seguido pelo Paraná, com 181.

500 maiores

(*) VPG: Valor Ponderado de Grandeza. Resulta da soma de patrimônio (com peso de 50%), receita líquida (40%) e resultado líquido do exercício (10%)

Representando a cadeia moveleira, a Gazin atingiu a melhor posição, em 42º lugar, seguida pela Arauco do Brasil, em 50º. Dos fabricantes de móveis, a Todeschini atingiu a melhor posição, em 96º lugar

AMANHÃ e PwC

Já na lista das 500 empresas emergentes, a representação moveleira não foi tão significativa, com a Telasul em 606º lugar, seguida pela P&C Artemobili, Marel e Móveis Weihermann:

AMANHÃ e PwC

Líderes setoriais
AMANHÃ e PwC apresentam, ainda, as empresas que se destacam em 29 setores, de acordo com dois critérios: faturamento e rentabilidade. Desta forma, tem-se um quadro em que normalmente cada setor mostra dois líderes distintos: uma empresa é a maior e outra, de menor tamanho, desponta por sua capacidade de transformar vendas em lucro. Entre as maiores por setor, o Rio Grande do Sul tem 12, o Paraná tem 11 e Santa Catarina, seis. Entre as mais rentáveis, há 14 gaúchas, oito paranaenses e sete empresas de Santa Catarina.

Em três setores, uma mesma empresa ocupa a condição de maior e mais rentável. São os casos de Todeschini, em Móveis; Videolar-Innova, em Petróleo e Petroquímica; e Hering, em Têxtil e Confecções.
Método – Para apontar quem é quem entre as empresas do Sul, a Revista AMANHÃ e a PwC construíram um indicador exclusivo: o Valor Ponderado de Grandeza (VPG).

O índice reflete, de forma equilibrada, o tamanho e o desempenho das empresas, a partir de uma ponderação que considera os três grandes números do balanço: patrimônio líquido (que tem peso de 50% no cálculo do VPG), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%).

Premiação
A cerimônia de premiação será realizada durante um coquetel no dia 17 de novembro às 19h, na Fiergs, em Porto Alegre. Serão agraciadas as 25 maiores companhias de cada estado, além de 30 destaques no desempenho em diversos indicadores, entre eles: a maior empresa; a maior receita líquida; o maior lucro líquido; o maior patrimônio líquido; a maior capitalização; maior capital de giro próprio; e a maior liquidez.

 

Com informações de assessoria de imprensa


Os comentários estão desativados.

eMobile

Acompanhe o emobile nas redes sociais

Linkedin
Facebook