WMF 2018 registra bons resultados e se consolida no cenário internacional

Feira teve grande visita nos dois pavilhões dedicados a máquinas e tecnologias para processamento de madeira e derivados de madeira

Publicado em 10 de outubro de 2018 | 16:41 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

De 09 até 13 de setembro de 2018, ao mesmo tempo que acontecia o Ciff Shanghai 2018, dois pavilhões do Centro Nacional de Exposições e Convenções de Shanghai, em Hongqiao, receberam a primeira edição da Shanghai International Furniture Machinery & Woodworking Machinery Fair (WMF). Os pavilhões foram tumultuados, confirmando que foi uma ótima ideia combinar os espetáculos de Shanghai e Pequim em um único evento. O evento foi, portanto, a melhor plataforma possível para um evento que, juntamente com a edição de março em Guangzhou, se coloca como a verdadeira capital tecnológica da China.

A inauguração da Shanghai International Furniture Machinery & Woodworking Machinery Fair (WMF) atraiu um fluxo relevante de operadores da indústria. Se considerarmos que o Ciff Shanghai registrou um total de 146 mil visitantes de mais de 200 países e regiões (37% a mais que em 2017), é fácil entender a contribuição dos pavilhões 7 e 8, abrigando as máquinas e instalações, que foi visitada por cerca de 33 mil operadores profissionais.

Divulgação Ciff Shanghai

Ciff Shanghai

Estande da Homag na Ciff Shanghai 2018

A feira dentro da feira, como é denominada a WMF na China, recebeu um total de 395 expositores, dos quais 75 são internacionais. Uma gama completa de grandes marcas internacionais foi representada, propondo tecnologias avançadas para operadores que estão cada vez mais familiarizados com a necessidade de novas ferramentas para produzir itens de qualidade e reduzir a utilização de mão de obra.

– Orgatec 2018 registra números positivos e aumento de empresas expositoras

Dois tópicos emergiram na WMF em Shanghai, por um lado, a busca por máquinas e instalações sofisticadas, capazes de garantir a qualidade do acabamento e dos detalhes, e que está apoiando a afirmação da alta qualidade da fabricação “Made in China”. Por outro lado, um mercado de trabalho está experimentando custos salariais crescentes e, portanto, cada vez mais convencendo as empresas chinesas a se voltarem para o Vietnã mais barato para certas partes de sua produção.

Um novo calendário está tomando forma, em março, na cidade de Guangzhou, no qual tecnologias para a indústria de móveis serão tratados em colaboração com a Koelnmesse. Em setembro é a vez de Shanghai, no qual a China International Furniture Machinery (CIFM) já fazia parte do Ciff Shanghai, agora inclui também a Feira de Artesanato de Pequim.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile