Múltiplas tendências do iSaloni 2018 apontam para diversidade cultural

Diversidade de tendências apontam para o retorno do clássico, integração de matérias-primas e valorização de técnicas artesanais

Publicado em 23 de abril de 2018 | 14:19 |Por: Luis Antônio Hangai

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O Salão do Móvel de Milão, que teve início no dia 17 de abril e terminou ontem (22), é reconhecido como o principal radar em design de móveis e arquitetura de interiores a nível mundial. Neste ano, as tendências do iSaloni 2018 apontaram para uma multiplicidade de caminhos que atravessam temas como retorno ao clássico, tactilidade, exploração de matérias-primas e técnicas artesanais.

A pluralidade de propostas não passou despercebida pela organização do evento, aliás, foi celebrada. A curadora do SaloneSatellite, Marva Griffin, chegou a afirmar a importância de não haver uma tendência unilateral em design de mobiliário, sendo isso um sinal da diversidade crescente das identidades culturais que convergem para Milão ano após ano.

Design Brasileiro marca presença no iSaloni

“Não existe uma abordagem única, mas muitas abordagens de design diferentes, se não radicalmente diferentes. Na verdade, pode-se tentar um jogo de palavras, no sentido de que a falta de uma tendência bem definida deve ser vista como a tendência principal. A menos que estejamos muito enganados, é justo dizer que esta é uma observação cada vez mais frequente na última década – apesar das inúmeras tentativas de criar novos ‘ismos’ sobre as coisas, isso simplesmente não aconteceu. Tem havido muitas e variadas abordagens de estilo em 2018, do organicismo ao retorno ao clássico, uma busca pela pureza ou fantasia e, dentro de cada vertente diferente, há designers dos mais diversos contextos culturais e geográficos”, apontou Marva.

Divulgação iSaloni

tendências do isaloni 2018

Diversidade de matérias-primas e apelo às sensações táteis constituíram parte das tendências do Salão do Móvel de Milão

Mais do que a celebração da multitude criativa, a organização do iSaloni comemorou também os resultados obtidos da sua 57ª edição. Ao todo foram contabilizados cerca de 435 mil visitantes de 188 diferentes nações, um crescimento de 26% se comparado com o evento de 2017 e de 17% em relação a 2016, ano das últimas edições das exposições bienais com foco em cozinha (EuroCucina) e banheiros (International Bathroom Exhibition). Ao todo a feira internacional reuniu 1.841 expositores, sendo que 27% são de outros 33 países além da Itália.

“Ao longo dos últimos dias temos testemunhado o melhor em criatividade, produtos e capacidade de inovação e narração, mostrados com todo o poder evocativo e encantamento da teatralidade. Isso significa que agora estamos prontos para começar a pensar na próxima edição, com um comprometimento ainda maior em manter nossa reconhecida liderança de identidade e valores e em responder às demandas comerciais e de mercado”, comentou o presidente do iSaloni, Claudio Luti.

Destaques em tendências do iSaloni 2018

Apesar da multiplicidade cultural que caracterizou as tendências do iSaloni 2018, alguns padrões foram detectados no conjunto das peças expostas. A primeira delas é a releitura de mobiliário clássico, com reedições cada vez mais frequentes de produtos que marcaram época e até hoje são estudadas por profissionais do ramo como, por exemplo, o Society Table, projetado por Arne Jacobsen em 1952, e o Markelius, criado pelo sueco Sven Markelius em 1930, ambas relançadas por marcas escandinavas. Essa tendência segue a onda mundial de reutilização de objetos retrô, tais como discos de vinil e câmeras fotográficas Polaroid.

Divulgação iSaloni

Tendências do iSaloni 2018

Society Table, peça criada nos anos 1950, foi revisitada no iSaloni 2018

Em segundo lugar entre as tendências do iSaloni 2018 está o apelo às sensações táteis provocadas pelo emprego de diferentes materiais e, consequentemente, texturas. Além da madeira, outras matérias-primas como vidro, cerâmica, tecidos, couro e rochas se agrupam, muitas vezes em peças únicas, na concepção de projetos com foco em estética.

Outra tendência em destaque no Salão do Móvel de Milão é o resgate de técnicas artesanais e a roupagem ao estilo de marcenaria para os móveis. Expositoras brasileiras, atentas a esta recuperação do ofício manual, apresentaram peças inspiradas em marcenaria de alto padrão durante a feira. “A abordagem maximalista de hoje para o design exige detalhes, acabamentos e processos de alta qualidade, com mármores raros”, destacou Marva Griffin.


Os comentários estão desativados.

eMobile