Projeto Mueller Ecodesign Social reforma Lar Batista Esperança

Edição de 2017 do projeto recebeu ambientes reformados por 23 profissionais de arquitetura e decoração

Publicado em 29 de janeiro de 2018 | 20:31 |Por: Ricardo Heidegger

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Depois de quatro meses de reforma, o Lar Batista Esperança está de cara nova. A instituição beneficiada com a edição de 2017 do Projeto Mueller EcoDesign Social ganhou ambientes reformados por 23 profissionais de arquitetura e decoração. Os profissionais envolvidos no Projeto Mueller EcoDesign Social assumiram a tarefa e cumpriram com o papel principal de aliar beleza, sustentabilidade e acessibilidade a todos os ambientes. O foco do projeto é em proporcionar bem-estar e conforto aos moradores da instituição.

Os profissionais são Ana Carolina Mazzarotto, Ana Sekulic, Andréa Benthien, Carolene Coimbra, Fábio Aguiar, Ivana Guimarães, Simone Weber,  Elizane Souza, e Daniela Martins, Jane Rocha, Keyla Kinder e Fernanda Viero, Jaqueline Siebert e Rodrigo Garcia, Nadia Bentz e Vanderlan Farias, Sandro Percicotti, Suzane Simon, Vania Toledo Martins, Zeh Pantarolli e Diego Miranda. Os coordenadores técnicos do projeto são a arquiteta Rose Guazzi e o arquiteto e paisagista Marcelo Calixto. Confira como ficou cada projeto.

Área de serviço e banheiro dos meninos

A reforma da área de serviço e do banheiro dos meninos, foi idealizada pela arquiteta Ana Sekulic, do escritório Ana Sekulic Arquitetura. Ela apostou em armários sob medida com o intuito de guardar os materiais de limpeza, que antes estavam espalhados por outros ambientes. “Foram feitas melhorias aproveitando ao máximo a infraestrutura e itens existentes, de forma a evitar o descarte desnecessário e a compra sem propósito. A estante que antes funcionava como sapateira, por exemplo, foi reutilizada em outro local, dando lugar a um armário na parte inferior e ampliando o espaço de armazenamento”, afirma.

Com a revitalização, os moradores contam com mais espaço para armazenar roupas sujas, limpas e produtos de limpeza. “A ideia do projeto foi criar uma atmosfera leve, tranquila e descontraída, para que os pais sociais e os meninos (que serão os usuários mais frequentes) se sintam bem e revigorados nos espaços. Assim, foram escolhidos tons claros para as paredes, marcenaria e pedra e pensados em alguns pontos focais em azul, para trazer mais alegria ao espaço”, finaliza a arquiteta.

 

Banheiro meninas e pais sociais

Os coordenadores técnicos do Projeto Mueller Ecodesign Social, a arquiteta Rose Guazzi e o arquiteto e paisagista Marcelo Calixto, foram responsáveis pela revitalização do banheiro do Lar Batista Esperança. Entre as melhorias feitas no espaço, estão as louças e metais que foram trocados. Optou-se pela instalação de pastilhas de vidros em alguns pontos e moldura nos espelhos.

“Foi levado em consideração as necessidades dos usuários, principalmente as crianças, e seus pedidos. Após a revitalização, os moradores poderão usufruir do espaço com acessibilidade e segurança necessárias”, explica o arquiteto e paisagista Marcelo Calixto. A sustentabilidade está em destaque no reaproveitamento das paredes existentes e a pintura com tinta epóxi.

 

Cozinha

A reforma da cozinha do Projeto Mueller Ecodesign Social é assinado pela arquiteta Suzane Simon, do escritório Arquitetura e Interiores, e a designer Jane Rocha, do escritório Jane Rocha Interiores. Entre as melhorias que foram feitas, estão a transformação do espaço do piso ao teto, troca de forro, iluminação, elétrica, piso, mobiliário, eletrodomésticos, e decoração no geral.

“O projeto conta com produtos de fornecedores que já os tinham nos depósitos. Apostamos na sustentabilidade ao não ser necessário produzir novos produtos, e sim aproveitar e transformar o que tínhamos, misturando tudo com muito design”, afirma Suzane Simon. Para complementar o ambiente, optou-se por um painel interativo no espaço.

Churrasqueira

Com projeto desenvolvido pelo designer de interiores Rodrigo Garcia, do escritório Presto Arquitetura e Interiores, e a arquiteta Jaqueline Siebert, do escritório Jaqueline Siebert Arquitetura, a churrasqueira ganhou novas melhorias. Entre elas, a substituição de telhas quebradas e colocação de manta térmica, para melhorar o conforto dentro do espaço. Optou-se por rampa de acessibilidade para compensar os desníveis, e mobiliário e eletrodomésticos novos.

“O objetivo foi promover melhor uso do espaço e trazer acessibilidade para os desníveis existentes no ambiente, além de melhorar o conforto térmico no ambiente. O espaço poderá ser usado pelos moradores para confraternizações, além de ser um armazenamento de mantimentos e objetos”, afirma o designer Rodrigo Garcia.

– América Móveis apresenta lançamentos para a indústria moveleira

“Uso de madeira de reflorestamento (eucalipto), uso de madeira de demolição, objetos de decoração feitos de materiais recicláveis, uso de objetos obsoletos de outra mostra (cobogó e floreiras usados na casa cor por exemplo), uso de tampos de granito que não deram certo em outra obra, ou seja, dar outro uso a objetos que estão sem uso”, destaca a arquiteta Jaqueline Siebert.

Jardim

O projeto dos paisagistas Nadia Bentz e Vanderlan Farias, do escritório Philodendron Paisagismo, contemplou desde as plantas, muros, e a inclusão de uma área para os moradores desfrutarem do espaço. No ambiente foi inserido um deck para área de estar/convivência, onde os moradores podem se reunir para conversar e aproveitar tanto os dias de calor, quanto o sol no inverno, assim como árvores frutíferas que funcionarão como pomar. “A idéia foi trazer aconchego, que o espaço seja convidativo para estimular o contato com a natureza que o jardim proporciona”, explica Nadia Bentz.

Projeto Mueller EcoDesign Projeto Mueller EcoDesign

Pátio frontal

Na revitalização do pátio frontal, o arquiteto e urbanista Zeh Pantarolli e o designer Diego Miranda, do estúdio Pantarolli Miranda, levaram em consideração a harmonia visual, estética dos fractais e a paleta de cores utilizada na pintura. “Como o nosso espaço é a fachada do Lar acabamos tendo a responsabilidade de representar a identidade de meninos e meninas que moram na casa através das cores e da padronagem de fractais que desenhamos para o projeto deste ano”, afirma o arquiteto Zeh Pantarolli.

Optou-se por uma pintura com conceito baseado em cores e em fractais, e para complementar o espaço foi inserido mobiliário externo ao local. “A padronagem de fractais que contorna a fachada da casa foi desenhada pelo nosso estúdio e reflete uma harmonia moderna e alegre para a instituição. A identidade representa o encaixe de diversas peças em uma única unidade, assim como as crianças em uma sociedade”, finaliza o designer Diego Miranda.

Quarto meninas

Para a reforma do quarto das meninas, as arquitetas Fernanda Viero e Keyla Kinder, do escritório Kids Arquitetura, responsáveis pela ideia do Projeto Mueller Ecodesign Social, pensaram em uma solução que valorizasse o momento de privacidade de cada menina. “Achamos fundamental que elas se vejam como indivíduos únicos, e se sintam acolhidas nesse lar que está dando a elas uma oportunidade de crescer. E que o espaço seja um refúgio, mas também um local de interação entre elas”, explica a arquiteta Fernanda Viero.

“Pedimos aos nossos fornecedores a doação de materiais que poderiam ser jogados no lixo, como forma de dar um novo uso para cada material. Também utilizamos o mesmo armário que as moradoras possuem no quarto, apenas dando uma repaginada e unificando com a parte nova executada, através da adesivagem”, finaliza a arquiteta Keyla Kinder.

Quarto meninos – 1

As arquitetas Ana Carolina Mazzarotto e Vania Toledo Martins, dos escritórios Vânia Toledo Martins Arquitetos Associados e AMR Arquitetura e Design, respectivamente, ficaram responsáveis pela transformação de um dos quartos voltado para quatro meninos. As profissionais destacam as melhorias que foram feitas no espaço. “Desde pintura, renovação do piso, mobiliário sob medida, iluminação e pontos elétricos. O conceito do projeto foi proporcionar para cada menino um ambiente individualizado dentro do quarto coletivo”, explica a arquiteta Ana Carolina Mazzarotto.

– Imm Cologne apresenta ideias para o design de interiores em 2018

As profissionais investiram no reuso de materiais. “Procuramos usar materiais de reaproveitamento de marcenaria, renovar o piso existente sem demolição, equipamentos de iluminação fora de linha na loja, mas que podem ser recuperados”, destaca a arquiteta Vania Toledo Martins. Neste ambiente, cada menino ganhou, além da cama, uma porta de armário e prateleiras para objetos pessoais. Segundo as profissionais, o objetivo é que cada um se sinta valorizado e possa personalizar o seu espaço.

Quarto meninos – 2

A arquiteta do Projeto Mueller Ecodesign Social Carolene Coimbra, ficou responsável pela transformação do outro quarto para três meninos. “Meu projeto compreendeu o piso, forro, parede, esquadria, rodapés, iluminação, porta e mobiliário”, diz Carolene Coimbra. Buscando valorizar a sustentabilidade em seu projeto, a arquiteta explica que foi proposto uma textura de gesso em 3D na parede, material que foi reciclado.

“A reciclagem do gesso traz soluções sustentáveis para a construção civil, chegando a reciclar 100% do material. A proposta de substituição para esquadrias de alumínio também foi adotado como uso de material mais sustentável, considerando o alumínio um material reciclável. As esquadrias de alumínio são leves, duráveis e mais eficientes sob o conforto ambiental”, destaca a profissional.

Quarto dos pais sociais

Entre as melhorias que foram feitas no quarto dos pais sociais, o arquiteto Fábio Aguiar, do escritório F.Aguiar Arquitetura e Urbanismo, destaca o acabamento, iluminação, e a reforma nos móveis e piso. “Optou-se pela revitalização de alguns móveis existentes, aumentando a vida útil do mesmo. Além disso, a madeira foi reciclada”, explica o arquiteto.

Ele conta que durante a idealização do projeto, foi levado em conta o bem-estar do casal. “Visto que este espaço é o único que não é compartilhado com outras pessoas, buscamos trazer conforto e privacidade para um casal jovem que tem a sua rotina voltada a cuidar de outras vidas”, destaca Fábio Aguiar.

Sala principal

A sala de estar e de TV foi reformada pela arquiteta Andréa Benthien, do escritório Tríade Arquitetura, e o arquiteto Sandro Percicotti, do escritório Sandro Percicotti Arquitetura. Entre as melhorias feitas no espaço do Projeto Mueller Ecodesign Social está a mudança de algumas portas para melhorar a distribuição do mobiliário. “Fizemos a troca do piso, revestimentos, pintura, móveis e iluminação, tudo pensando no melhor conforto dos moradores. Esse é o espaço que eles mais usam quando estão na casa”, afirma a arquiteta Andréa Benthien.

Para compor o espaço, os arquitetos apostaram em um painel decorativo feito com peças recicladas, em parceria com a artista plástica Marilene Ropelato. “Os móveis foram feitos com reaproveitamento de chapas de outros projetos. Buscamos trazer a sustentabilidade para o ambiente, propondo uma casa mais funcional, confortável e bonita”, destaca o arquiteto Sandro Percicotti.

Sala de estudos

As arquitetas e urbanistas, Ivana Guimarães, e Simone Weber, e as profissionais Elizane Souza e Daniela Martins, do escritório Guimarães Weber e Souza Arquitetura e Interiores, ficaram responsáveis pela transformação da sala de estudos do Projeto Mueller Ecodesign Social. Entre as melhorias que foram feitas no espaço estão: novo revestimento para o piso; nova janela e porta de entrada; pinturas nas paredes com desenhos e cores inspiradoras; novos pontos de tomadas; melhoria na iluminação; e mobiliário adequado para que possam estudar com tranquilidade e aproveitar as horas de lazer.

“Buscamos transformar o ambiente em um espaço prazeroso, tanto para o estudo como para o lazer. Um lugar onde as crianças e adolescentes queiram realmente estar. Trabalhamos com uma dinâmica de combinação de cores tanto para as paredes como para o mobiliário que remetem mais ao universo jovem. O conceito do projeto partiu da definição de áreas (estudo e lazer), levando em conta o número de adolescentes que a casa comporta atualmente”, explica a arquiteta Simone Weber.

– Jurados se mobilizam para finais do Prêmio Salão Design em Bento Gonçalves

A sustentabilidade também se destaca na sala de estudos do Projeto Mueller Ecodesign Social. O sofá existente foi revestido de tecido confeccionado com calças jeans usadas, doadas por amigos das profissionais sensibilizados pela causa. Alguns móveis como um pequeno armário suspenso, cadeiras de escritório e pés da mesa de estudo foram doados e reaproveitados.

(com informações de assessoria)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile