ApArt Private Gallery aluga obras de arte

A apArt Private Gallery, galeria situada nos Jardins, em São Paulo (SP), está inovando a forma de se fazer negócios no mundo das artes. A galeria permite aos clientes alugar uma obra de arte, renovando a decoração da casa ou do escritório.

Publicado em 19 de março de 2014 | 14:31 |Por: Joana Castro, equipe Conteúdo

Share on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A apArt Private Gallery, galeria situada nos Jardins, em São Paulo (SP), está inovando a forma de se fazer negócios no mundo das artes. A galeria permite aos clientes alugar uma obra de arte, renovando a decoração da casa ou do escritório.

Em entrevista ao Portal eMobile, uma das responsáveis pelo projeto, Thais Marin, que também é colecionadora de obras de arte, conta que a ideia surgiu quando ela e o marido, colecionador e artista plástico, foram a Berlim , na Alemanha, e conheceram Christian Boros, designer alemão que transformou um bunker em uma galeria de arte para visitação do público.

Leia mais:
– Ikea lança coleção de móveis para quem está sempre em mudança
– Empathetic Pricing: Como essa tendência se aplica ao setor moveleiro?
– Produtos para casa e decoração estão entre os mais vendidos pela Internet

“Em vez de a gente montar um apartamento apenas com as nossas coleções, vamos abrir para o público visitar com horário marcado. E foi quando os pilares da apArt começaram a ser montados, que seria fazer exposições não só das nossas peças, como de outros artistas e começar a dar oportunidade a artistas novos”, conta.

Mauricio Nahas

A apArt Private Gallery iniciou o novo negócio no Brasil após descobrir a possibilidade nos EUA

A apArt Private Gallery iniciou o novo negócio no Brasil após descobrir a possibilidade nos EUA

A intenção de alugar as obras de arte surgiu logo após, em agosto de 2013, quando o casal viajou para São Francisco (EUA), e, visitando algumas galerias, observaram que as obras não estavam apenas para venda mas também para aluguel. “Porque não trazer esse conceito para um país cheio de artista, cheio de arte, com as galerias crescendo cada vez mais?”, indaga.

A colecionadora afirma que quando a obra pode ser levada para casa, a chance de ser vendida é muito maior. “Além disso, ao invés dos clientes comparem as peças, eles podem alugar e estar sempre renovando a decoração de casa”, comenta.

Em relação a procura do serviço, Thais diz que ela ainda é pequena, tendo alugado peças apenas para São Paulo e Brasília. “As pessoas estão começando a entender esse conceito, que ainda é muito novo. É um movimento que nós torcemos que aconteça em maior escala”, confessa.

Segundo a organizadora, o preço do aluguel varia de acordo com cada peça. A média é de 5 a 10% do valor da obra. Além disso, se o comprador se interessar pelo objeto e resolver adquiri-lo, a empresa faz descontos a partir do tempo que foi alugado.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

eMobile