Diretora da Pantone fala de tendências para 2019 na S.C.A. em Curitiba

Em workshop para profissionais da área, Blanca Liane falou de sustentabilidade nas cores e antecipou características para o ano que vem

Publicado em 14 de novembro de 2018 | 17:35 |Por: Ricardo Heidegger

Se você pudesse escolher apenas uma, que cor daria ao mundo hoje? Para responder a essa pergunta, a S.C.A. Mobiliário Contemporâneo promoveu uma palestra com a diretora da Pantone Brasil, Blanca Liane, na última quinta (08/11) em Curitiba. Com foco em antecipar tendências e novidades em cores, a especialista falou como deve ser o trabalho na aplicação das paletas em móveis e arquitetura de alto padrão.

A iniciativa faz parte do projeto S.C.A. Network e reúne formadores de opinião e especialistas do segmentos para debater temas variados em relação ao setor. Criada em 1962 nos, a Pantone é responsável anualmente pela escolha da “Cor do Ano”, decisão que influencia na criação de boa parte das peças em mobiliário, vestuário e outros segmentos. “Em 2019, a ‘Cor do Ano’ deverá ser doce e suave. Trata-se de algo que o mundo precisa, atualmente”, contou ao público presente.

Divulgação S.C.A.

Pantone

Diretora da Pantone Brasil, Blanca Liane

O encontro reuniu especificadores, clientes, parceiros, imprensa e convidados no showroom da S.C.A. Além das tendências, Blanca ressaltou a importância do profissionalismo na carreira, assim como ter um olhar apurado para o mercado. “Nosso objetivo é fazer com que todos tenham olhos para o que interessa: nossos produtos”, destacou. “Nosso caminho deve ser o de criar cores e fazer escolhas inesperadas, com ambientes e tonalidades inéditas”.

Com sede em Carlstadt, Nova Jersey, nos Estados Unidos, a Pantone é considerada uma referência em cores no setor. A marca é conhecida pelos seus sistemas e tecnologias de ponta criados para os procedimentos que abrangem cores com reprodução minuciosa, nas fases de seleção, comunicação e controle de cores.

– Artefama lança cadeiras Deli

O nome Pantone é conhecido internacionalmente como a linguagem padrão para a comunicação em todas as etapas do processo de gestão de cores, desde o designer até o fabricante, desde o revendedor e até o cliente, em várias indústrias.

(com informações de assessoria)

S.C.A. Network recebe diretora da Pantone Brasil para workshop de design

Blanca Liane, responsável por introduzir a marca no Brasil, irá falar sobre estratégias e novidades em projetos de arquitetura e mobiliário de alto padrão

Publicado em 26 de outubro de 2018 | 17:41 |Por: Ricardo Heidegger

Um dos aspectos primordiais do design contemporâneo, a cor é agente responsável por definir sensações e transmitir aos ambientes a essência de um projeto específico. A diretora da Pantone Brasil, Blanca Liane, é a representante única do sistema de cores mais importante do mundo e ministrará um workshop de design e integração de cores exclusivo para convidados em Curitiba (PR), no Showroom da S.C.A Network do bairro Batel, no dia 08 de novembro.

Divulgação Pantone Brasil

Workshop de design

Diretora da Pantone Brasil, Blanca Lliahnne

Responsável por introduzir a Pantone no país em 1987, a profissional dedica o seu trabalho à prospecção, criação e aplicação das cores nos segmentos da moda e comportamento, em geral. O workshop de design será focado justamente nesses aspectos.

Ou seja, nas estratégias e inovações para projetos de arquitetura e mobiliário. A palestra busca diferenciais e tendências através da visão de uma profissional que trabalha com o sistema de cores mais importante do mundo.

A parceria da diretora Pantone do Brasil com o Grupo SCA é fruto da inserção da marca no universo dos arquitetos e decoradores há mais de 50 anos, como fornecedora para os principais projetos de mobiliário de alto padrão da capital. O evento de design e integração de cores possui vagas limitadas.

Sediada em Carlstadt, Nova Jersey (EUA), a Pantone é considerada, hoje, uma referência em cores. A marca é mundialmente conhecida pelos seus sistemas e tecnologias de ponta criados para os procedimentos que abrangem cores com reprodução minuciosa, nas fases de seleção, comunicação e controle de cores.

– Centro Cultural promove ciclo de palestras sobre design sustentável

O nome Pantone é conhecido internacionalmente como a linguagem padrão para a comunicação em todas as etapas do processo de gestão de cores, desde o designer até o fabricante, desde o revendedor e até o cliente, em várias indústrias.

(com informações de assessoria)

Centro Cultural promove ciclo de palestras sobre design sustentável

Primeira ação no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo acontece no próximo dia 18 de outubro

Publicado em 26 de outubro de 2018 | 11:17 |Por: Ricardo Heidegger

Para dar continuidade ao projeto que inaugurou o Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, a instituição inicia um ciclo de debates sobre os novos desafios e soluções para o design sustentável contemporâneo. A programação é aberta não só aos profissionais e estudantes das áreas correlatas, mas também o público em geral, interessado pelo tema design sustentável.

Reciclável, biodegradável e versátil, o bambu é o tema da primeira palestra. Com o nome “Bambu: características e potencialidades”, o bate-papo será apresentação da equipe do Laboratório de Experimentação com Bambu da Unesp/Bauru, que pesquisa as diferentes técnicas de uso deste material.

Sob o comando do professor Marco Antônio Pereira, alunos que fizeram parte dessa iniciativa, como a professora Thais Regina Uena Yamada, irão falar sobre o potencial do bambu para o desenvolvimento de produtos, a tecnologia para cultivo, coleta e tratamento desta matéria prima. O design sustentável está aliado à resistência do produto final, com a vantagem da maleabilidade durante o processo de criação. É uma excelente alternativa para a substituição da madeira.

A segunda palestra, que acontece no dia 08 de novembro, aborda a “Energia solar: potencialidades e sua utilização no transporte público”. O designer Fernando Cunha Lima irá apresentar o seu projeto, em exposição no Centro Cultural, sobre barcos que utilizam painéis fotovoltaicos para o funcionamento do motor elétrico.

O Aquabus 1050, criado pelo designer, é silencioso, não poluente e já é utilizado para o transporte público em algumas cidades da Suíça. Para completar o módulo, o engenheiro Aurélio Souza, especialista em energia solar e consultor do Instituto de Energia e Ambiente da USP, apresentará um panorama sobre as possibilidades de interação do uso a energia solar com o desenvolvimento de produtos no Brasil.

– Artefama lança cadeiras Deli

No dia 26 de novembro, os designers Érico Gondim e Flávia Vanelli falam sobre a “Reciclagem e Economia Circular no Design Brasileiro”. Flávia é responsável pelo desenvolvimento de um novo material feito com sacos plásticos descartados, que resulta em peças de plástico rígido, com o qual é feita a luminária Currupio, criada por Érico. Este processo colaborativo entre os profissionais e a cooperativa Yougreen, envolvida na coleta e triagem dos materiais, ilustra os principais conceitos de economia circular e de uma nova forma de criar projetos.

(com informações de assessoria)

Artefama lança cadeiras Deli

Peças unem o design com elementos que remetem ao estilo industrial, como madeira rústica reflorestada e aço

Publicado em 23 de outubro de 2018 | 14:00 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

A Artefama, quarta maior exportadora de móveis do Brasil, apresenta uma linha exclusiva de cadeiras inspiradas no estilo industrial, tendência que iniciou nos Estados Unidos com as reformas das fábricas em lares. Com design que evidencia as características desse estilo, as cadeiras Deli, possuem encosto em aço com acabamento em 13 cores diferentes. O que atrai e demonstra diferencial da peça está na curvatura do apoio e estrutura colorida, que proporciona modernidade ao ambiente.

A marca tem uma grande e moderna estrutura, com mais de 50 mil m² de construção no polo moveleiro de São Bento do Sul (SC), uma das mais belas cidades de Santa Catarina, com clima de montanha, cultura europeia e tradição secular na área industrial de móveis.

Setor moveleiro registra ligeira alta em 2017 segundo dados consolidados do Iemi

A Artefama é mundialmente conhecida pela qualidade dos produtos, garantindo o cumprimento das normas do FSC, a adoção de práticas de uso racional de energia, tratamento de água, descarte adequado de resíduos industriais e a segurança no trabalho. Tudo isso com o objetivo de oferecer o melhor em três linhas: Móveis de madeira e Estofados direcionados ao mercado nacional, Móveis de Madeira para o Mercado Internacional e uma extremamente criativa de Design Assinado.

A história da Artefama começou a ser contada em 10 de fevereiro de 1945, e sempre foi voltada para o equilíbrio entre o social e o ambiental. O segredo é a combinação da tecnologia com o talento profissional e respeito ao meio ambiente. Saber produzir a partir da capacidade de processar madeira de reflorestamento, 100% orgânico, com equipamentos modernos, tais como centros de usinagem, acabamento UV em linha e corte de madeira com scanner otimizado, porque tudo isso nos permite produzir móveis com melhores desenhos, acabamentos mais flexíveis de acordo com as tendências atuais.

Design brasileiro é destaque em congresso colombiano

Consultora internacional do Sindmóveis, Ana Cristina Schneider, e o designer Paulo Alves falam sobre o valor do traço brasileiro no +MOB, em Medellín

Publicado em 22 de outubro de 2018 | 17:09 |Por: Thiago Rodrigo Pereira da Silva

Nesta semana, nos dias 25 e 26 de outubro, Medellín recebe o 10º Congreso Internacional de Diseño en el Mobiliario +MOB com o objetivo de proporcionar a troca de experiências acadêmicas e empresariais do setor moveleiro da Colômbia e mercados de interesse. Pela primeira vez, um painel sobre o design brasileiro e a indústria brasileira será apresentado por uma consultora do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e um designer integrante do Projeto Raiz.

A entidade, parceira do projeto junto à Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), mantém ações estratégicas entre design e indústria há mais de 40 anos, além de desenvolver a competitividade através de programas setoriais no país.

Impactos do design sustentável na indústria moveleira

O espaço do desenho autoral nas indústrias, a estratégia de diferenciação e competitividade é apresentado por Ana Cristina Schneider, consultora do Projeto Raiz e do Sindmóveis de Bento Gonçalves que reúne cases de sucesso para intercâmbio de conhecimento entre o Brasil e os países participantes do congresso.

A veia criativa do design brasileiro, a variedade de matérias-primas e o processo produtivo são pontos abordados na palestra do designer Paulo Alves, membro do Projeto Raiz. A internacionalização de profissionais por meio da promoção no mercado externo também será tema.

Carlos Ferrari

design brasileiro

Ana Cristina Schneider falará sobre a competitividade do design brasileiro

O evento é promovido pelo Centro de Tecnologia de Móveis Sena, em conjunto com instituições acadêmicas e empresas departamento de mobiliário da Colômbia e reúne neste ano participantes da Argentina, Chile, Espanha e Itália.

O Projeto Raiz é uma iniciativa do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que mantém ações estratégicas de internacionalização e fomentam as atividades de designers brasileiros no exterior. Atualmente, cerca de 40 designers integram o projeto que tem em seu calendário de ações os principais circuitos e feiras de design do mundo.

(com informações de assessoria)

Designer fala sobre o toque decorativo da madeira no mobiliário

Profissional desenvolve peças exclusivas esculpidas pela própria natureza e adapta os móveis a diferentes materiais

Publicado em 22 de outubro de 2018 | 16:38 |Por: Ricardo Heidegger

Um diferencial na decoração de qualquer ambiente é utilizar móveis ou objetos em madeira. Além de resistentes e de grande durabilidade, eles conseguem se adaptar aos mais diversos estilos do rústico ao moderno. O aspecto natural cria um verdadeiro impacto visual e ainda é sinal de bom gosto, sofisticação e conforto. Com esse pensamento, a designer Monica Cintra debate sobre o toque decorativo da madeira em mobiliário.

Produtos de madeira maciça merecem atenção especial, sobretudo quanto à sua origem, de acordo com a profissional, por isso, é essencial conhecer a procedência da matéria-prima utilizada na fabricação. A designer possui uma carreira de sucesso no trabalho social e ecológico de reaproveitamento de madeiras de árvores tombadas e de raízes resgatadas de queimadas. Com um trabalho exclusivo, desenvolvido para o estilo do cliente, ela cria peças exclusivas esculpidas pela própria natureza e consegue com que as peças se adaptem ao inox, vidro, espelho e acrílico.

Divulgação Monica Cintra

Madeira em mobiliário

Lareia Itareré de Monica Cintra

Grande diferencial do trabalho da designer vem do uso de diversos tipos de madeira em mobiliário. Com a cedro, que é matéria-prima da Lareira Itareré, a designer consegue criar um visual único e natural, ao despigmentar a madeira traz conforto e sofisticação. Este tipo de madeira é versátil, fácil de serrar, lixar e parafusar, o que também facilita o processo de montagem e na durabilidade.

Já a Luminária Atiara foi feita de madeira Cumaru e raiz Fícus natural, com interferência de quartzo translucido da Mont Blanc Mármores e Granitos. A robustez torna essa madeira mais adequada à decoração de ambientes rústicos ou industriais. Pode ser utilizado em locais onde há predominância das cores marrom e verde, situações em que a madeira Cumaru destaca o aspecto vivo da natureza e vai bem com os produtos que contrastem com a coloração da madeira.

– Designer comenta sobre a desmitificação da madeira de demolição para decoração

A Champanheira em madeira maciça Canela aproveita toda a qualidade da espécie que é considerada praticamente perfeita. A peça é proveniente de uma árvore que estava com uma anomalia que foi retirada, o processo não afetou o resto do tronco e impediu que a árvore fosse cortada. Por ser muito durável, a madeira sempre foi extremamente procurada pela indústria para produzir móveis e objetos de decoração para casa. É perfeita para produtos que demandem resistência e rigidez.

(com informações de assessoria)

Designer comenta sobre a desmitificação da madeira de demolição para decoração

Material de demolição é considerado como “hit do momento” por sua beleza, trabalho, e neutralidade, de acordo com Andréia Leitão

Publicado em 19 de outubro de 2018 | 17:41 |Por: Ricardo Heidegger

Um móvel feito com madeira de demolição assume a característica que o cliente quiser, podendo ser da mais rústica à mais fina e decorativa peça de luxo, que se adapta facilmente a ambientes internos e externos, sempre marcando presença. Com esse raciocínio, a designer de interiores Andréia Leitão detalha e desmistifica a madeira de demolição para decoração.

Divulgação Andréia Leitão

Madeira de demolição para decoração

Designer de interiores da Cantinho Meigo, Andréia Leitão

Quanto ao que vem a ser a madeira de demolição, a profissional afirma que é aquela madeira que vem do ato de demolição de algumas construções muito antigas, como barracões, paióis, trilhas, que foram construídas no passado.

Elas possuem cerca de 150 a 200 anos atrás, com madeiras nobres tais como a peroba, aroeira, angico, entre outras. As madeiras chegam à loja ainda originalmente coloridas, com pregos, buracos, marcas do tempo.

De acordo com a designer, os marceneiros são verdadeiros artistas nesse processo, transformando cada pedaço das madeiras em arte.

O processo é bem elaborado, já que após a demolição as madeiras são lavadas com produtos especiais, depois tratadas com cera, e a partir daí começa a produção dos móveis. São feitos um a um, não há uma linha de produção para este tipo de móvel.

Resumindo, os móveis produzidos com essa madeira são considerados hoje pelos maiores designers de interiores e arquitetos o “hit do momento”, pois são versáteis e responsáveis por adicionarem traços rústicos e sofisticados a qualquer ambiente.

O tradicional sempre terá mais espaço nas residências, seja em um pequeno objeto de decoração até móveis ou decoração completa, de acordo com a profissional. Os móveis rústicos são os mais procurados para quem deseja manter a casa num estilo confortável e amadeirado. “Esqueça essa ideia de ‘interiorzão’, ‘fazenda’, ‘sítio’, e tudo mais. Um apartamento no meio de São Paulo pode ter móveis com madeira de demolição para decoração”, afirma.

Madeira de demolição para decoração

Móveis neutros, com esse tipo de madeira, se encaixam em qualquer ambiente, e mesmo com traços tradicionais, se adaptam facilmente até nos ambientes mais sofisticados, de acordo com a designer. Uma casa moderna e repleta de praticidades pode ter aquela poltrona rústica, simbolizando descanso em meio a tanta correria. “No quarto, uma bela cabeceira de cama, trazendo ao ambiente, aconchego e relaxamento. Na cozinha, na varanda, enfim, Todo cômodo pode ter algo rústico em sua decoração, basta experimentar”, comenta.

Outro ponto importante para a profissional, é que a madeira de demolição também utilizada para a produção de pisos, pois consegue inserir sofisticação ao espaço horizontal do imóvel. A designer de interiores, que está à frente da Cantinho Meigo, diz que os móveis em peroba rosa de demolição, por exemplo, trazem um visual arrojado, proveniente de suas marcas e texturas, que os tornam diferenciados e dão a oportunidade de criar contrastes entre a madeira e os outros objetos.

– L’oeil inaugura terceira unidade em Campinas

Ao incluir um móvel rústico com madeira de demolição para decoração, pode-se considerar que também é inserido o conceito de sustentabilidade, partindo do ponto de que é uma matéria-prima sustentável, ou seja, não é necessária a agressão à natureza para que ela possa ser utilizada, o que é tendência nos dias de hoje. Além disso, a conservação e manutenção dos móveis em peroba rosa é feita de maneira simples e eficaz, sem causar problemas para seu móvel, já que é um processo que não requer muito tempo e nem habilidade.

(com informações de assessoria)

L’oeil inaugura terceira unidade em Campinas

Marca lança novo endereço e traz para a cidade paulista conceito inovador e produtos exclusivos

Publicado em 18 de outubro de 2018 | 17:35 |Por: Ricardo Heidegger

A L’oeil, marca que atua no mercado de decoração desde 1994, antecipando tendências em móveis, objetos e vasos para interiores e exteriores, e que conta também com a divisão L’oeil Corporativo, inaugurou uma nova unidade. Sendo a terceira da empresa, o novo endereço está em Campinas, no interior de São Paulo, na Avenida Iguatemi, 434 – Vila Brandina.

Empresa possui um portfólio com peças de uma extensa quantidade de designers profissionais

Nos mais de 300 m² é possível encontrar móveis para áreas internas, externas e vasos. Em mobiliários, é possível encontrar aparadores, bancos, banquetas, bases de mesas, cadeiras, chaises, mesas de centro, mesas de jantar, mesas laterais, namoradeiras, poltronas, pufes, offices e sofás, além de obras de artes.

Já no setor de vasos a marca, que é considerada uma das maiores distribuidoras de vasos para jardins importados e nacionais, conta com pratos, bacias, floreiras, garrafas, vasos arenitos, vasos de cerâmicas, vasos de cimento, e vasos de fibras brilhantes e tons da terra.

Outro destaque do portfólio da L’oeil são peças assinadas por alguns dos mais renomados designers brasileiros. Entre eles estão Adolini+Simonini, André Ferri, Ângelo Duvoisin, Casulo Design, Claudia Moreira Sales, Daniela Ferro, Eduardo Baroni, Estevam de Carvalhães, Estúdio Ninho, Fetiche Design, Jader Almeida, Leonardo Bueno, Luia Mantelli, Luis Suzuki, Marlene Ricci e Paulo Alves.

– Duratex apresenta painéis da linha Conceito na Casa Cor Santa Catarina

Ainda no portfólio de profissionais, a marca conta com nomes como Pedro Mendes, Pedro Useche, Raffaello Galiotto, Rejane Carvalho Leite, Studio Empório, Tri Design, entre outros. Além disso, a L’oeil possui peças dos mais diversos lugares do planeta, como China, Índia, Indonésia, Marrocos, Turquia e Vietnã. A marca promoveu um coquetel para celebrar e apresentar o conceito da marca aos arquitetos, decoradores e paisagistas campineiros e da região, na quarta-feira passada (10/10).

(com informações de assessoria)

Duratex apresenta painéis da linha Conceito na Casa Cor Santa Catarina

Empresa estará presente em cinco ambientes da mostra de 14 de outubro a 25 de novembro

Publicado em 15 de outubro de 2018 | 16:30 |Por: Ricardo Heidegger

A Casa Cor Santa Catarina está de volta a Florianópolis trazendo as principais tendências do universo da arquitetura, decoração e design. De 14 de outubro a 25 de novembro, o público catarinense irá conferir mais de 20 ambientes inspirados pelo tema “A Casa Viva”, que destaca a harmonia com a natureza, a convivência e a confraternização com o estilo de vida rodeado de verde, animais e de memórias afetivas. Presente em cinco espaços de profissionais consagrados, a Duratex irá apresentar suas soluções do universo de pisos laminados e painéis de madeira.

Divulgação Duratex

Casa Cor Santa Catarina

Home Fragances, de Larissa e Laura Gransotto

Nessa edição da Casa Cor Santa Catarina, os painéis da nova linha Conceito, que combina elementos como pedras, metais e tramas de tecidos ganharam destaque e estão presentes no “Suíte Essencial”, assinado pela premiada arquiteta Juliana Pippi.

A profissional usou o padrão Tramato, que resgata os processos manuais e a singularidade dos projetos, para produzir parte do mobiliário e pórtico da entrada do ambiente.

O padrão também foi a escolha dos profissionais Alcides Theiss e Rosane Girardi, da Theiss Girardi, para o projeto da “Cozinha do Afeto”. O painel foi utilizado para produzir o mobiliário do espaço. Para revestir as paredes do ambiente, os arquitetos optaram pelo padrão Gianduia, da linha Trama.

Na “Loja Aroma da Casa”, as arquitetas Laura e Larissa Granzotto investiram na sofisticação e beleza da lâmina natural da madeira e aplicaram o padrão Itapuã, da linha Essencial Wood nas paredes do ambiente.

Todos os móveis do espaço também ganharam marcenaria produzida com o painel da mesma linha que traz a textura real da madeira. No entanto, a profissional optou pelo tom mais escuro do padrão Álamo. Os nichos e detalhes foram trabalhados com um mix de produtos e trazem os padrões Mood, Rust e Verde Real, da linha Essencial, além do Preto, da linha Trama.

– Designer Zanini de Zanine consolida parceria de sucesso com América Móveis

Sinônimo de beleza, durabilidade e facilidade de instalação, o piso laminado Durafloor está presente no projeto assinado pela arquiteta e designer de iluminação Estela Cislaghi. Para revestir o piso do ambiente “Home Atmosfera”, Estela optou pelo estilo espinha de peixe do padrão Chamonix, da linha Unique. A Casa Cor Santa Catarina, edição Florianópolis, acontece no bairro de Santo Antônio de Lisboa, no Caminho dos Açores, 1410.

(com informações de assessoria)

Designer Zanini de Zanine consolida parceria de sucesso com América Móveis

Grande destaque da empresa no merca é a Linha Zina, com peças inspiradas em móveis das décadas de 40 e 50

Publicado em 11 de outubro de 2018 | 11:05 |Por: Ricardo Heidegger

Nascido no Rio de Janeiro, o designer Zanini de Zanine sempre teve contato com o design, a arquitetura e a arte, crescendo e observando o trabalho de seu pai, José Zanine Caldas, que foi o maior motivador de sua carreira. Hoje, aos 40 anos, Zanini tem uma carreira consolidada no Brasil e no exterior, o Studio Zanini desde 2011, diversos prêmios, além de coleções de móveis com sua assinatura. Há dois anos, também iniciou uma parceria com a América Móveis, empresa de mais de cinco décadas de tradição em mobiliário de qualidade, em que já lançou 20 produtos.

Divulgação dc33 Comunicação

Designer Zanini de Zanine

Designer Zanini de Zanine com o Carro-Bar Zina

O destaque é a Linha Zina, com 10 criações, um grande sucesso de vendas. As peças são inspiradas em móveis das décadas de 40 e 50, que tinham hastes de ferro bem finas, que lhes atribuíam muito charme.

Desenhistas como Carlo Hauner, Martin Eisler e até mesmo José Zanine Caldas empregavam tal característica no mobiliário.

“A linha Zina traz a delicadeza atrelada à funcionalidade e à resistência. Possui personalidade, visual urbano e estética industrial”, completa o designer.

Além disso, 2018 foi um ano com muitas novidades versáteis como poltronas, mesinhas, bancos e puffs, de novas linhas que o designer Zanini de Zanine apresenta ao mercado em parceria com América Móveis. O último lançamento foi o banco Thopin feito em aço carbono, MDF, e revestido de couro, tecido ou palhinha, lançado na última edição do DW! Design Weekend.

– Arauco apresenta padrões de painéis de madeira na Casa Cor Pernambuco

A América Móveis foi fundada em 1967 e está localizada em Perdões (MG). A empresa possui uma ampla estrutura industrial de 13 mil m² de área construída, onde atuam cerca de 300 profissionais altamente capacitados e que contam com uma impecável estrutura industrial e social. A América se tornou referência em móveis de design, com foco em qualidade e sofisticação.

(com informações de assessoria)


eMobile